Para Leigos em Economia: Entenda a Crise Financeira Americana


Para entender a crise de forma didática, vamos usar como exemplo a história fictícia de um típico americano de classe média, um consumista desenfreado.

Leia também: Fotos de Mendigos Americanos, realidade do capitalismo selvagem.

John Simpson comprou uma casa, no começo dos anos 90 por 300.000 dólares financiados em 30 anos, com a bolha imobiliária em 2006 a casa do John tinha valorizado e estava valendo 1,1 milhão de dólares, uma fantástica valorização.

Mesmo ainda faltando 20 anos para quitar a casa, um banco perguntou pro John se ele não queria uma grana emprestada, algo como 800.000 dólares, ou seja, uma segunda hipoteca.

Ele aceitou o empréstimo, fez a nova hipoteca e pegou os 800.000 dólares. John não precisava do dinheiro, tinha um emprego estável, morava numa simpática casa no subúrbio de uma grande cidade, mas como todo americano, não podia escutar a palavra crédito.

Com os 800.000 dólares na conta, John soube por um amigo que o mercado imobiliário continuava valorizando, a idéia era construir, anunciar, vender e lucrar, um ótimo negocio, e como disseram pro John, não havia riscos.

John comprou 3 casas em construção, na parte mais nobre da cidade, dando como entrada 300.000 dólares e imediatamente fez mais 3 hipotecas, uma pra cada casa.

Porem no acordo feito, o valor recebido pelas 3 hipotecas era pequeno,o suficiente para terminar a construção das casas. A diferença, 500.000 dólares, que John recebeu do banco, ele gastou.

Comprou carro novo (alemão) pra ele, deu um carro (japonês) para cada filho, e com o resto do dinheiro comprou 4 TVs de plasma de 103 polegadas cada uma (coreanas), mais 5 notebooks (chineses), Uma jacuzzi de 30.000 dolares (vietnamita ) um lindo ponney (mexicano) para sua filha caçula.

Alem de realizar seu grande sonho de viagem, ir a Paris, ficando hospedado no Ritz pagando 600 euros a diária. Tudo comprado em longas prestações, com entradas bem pequenas.

A esposa do John, sentindo-se rica, utilizou o limite dos seus 6 cartões de crédito, aproveitou ate para fazer algumas cirurgias plásticas, pra ser exato 18, seus seios ficaram gigantescos ao gosto do americano.

John era o sonho americano em forma de pessoa, só havia um probleminha com o negocio do John, todo mundo teve a mesma idéia ao mesmo tempo.

O negócio que o John tinha se metido era… refinanciar a própria casa, usar o dinheiro para comprar outras casas em começo de construção e revende-las com lucro repassando as hipotecas.

Ai aconteceu o que muitos temiam, a bolha imobiliária “Estourou” no começo de 2007 começaram a correr boatos que os preços dos imóveis estavam caindo, as casas que o John tinha comprado e estavam em fase final de construção caíram vertiginosamente de preço e não tinham liquidez.

As taxas de juro das hipotecas que o John pagava começaram a subir (as taxas eram pós fixadas) e o John percebeu que seu investimento em imóveis se transformara num desastre, milhões tiveram a mesma idéia do john.

Tinha casa pra vender como nunca, mas os compradores tinham desaparecido.

John foi agüentando as prestações da sua casa refinanciada, mais as das 3 casas que ele comprou para revender, mais as prestações dos carros, dos notebooks, das tv de plasma,da jacuzzi milionária, do ponney , e dos cartão de créditos.

Começou a não pagar aos bancos as hipotecas da casa que ele morava e das 3 casas que ele havia comprado como investimento, John começou a não pagar suas milhares de contas.

Os bancos ficaram sem receber de milhões de especuladores iguais ao John, e também das milhões de pessoas que compraram essas casas e dos que tiveram as mesmas idéias do John.

John optou então pela sobrevivência da família, entregou aos bancos as 3 casas que comprou como investimento perdendo tudo que tinha investido, e quebrou.

Ele e sua família pararam de consumir, um sem numero de John’s deixaram de pagar aos bancos os empréstimos que haviam feito baseado nos preços dos imóveis.

Os bancos haviam transformado os empréstimos de milhões de John’s em títulos negociáveis, com a inadimplência dos Johns, esses títulos passaram a valer pó, bilhões e bilhões em títulos passaram a nada valer e esses títulos estavam disseminados por todo o mercado, principalmente nos bancos americanos, mas também em bancos europeus e asiáticos.

Os imóveis eram as garantias dos empréstimos, mas esses empréstimos foram feitos baseados num preço que esses imóveis não valiam mais.

Os preços dos imóveis eram uma bolha, um ciclo que não se sustentava, a inadimplência dos milhões de Johns atingiu fortemente os bancos americanos e europeus que perderam centenas de bilhões de dólares.

A farra do crédito fácil acabou, e muitos bancos quebraram, com a inadimplência dos milhões de johns, os bancos pararam de emprestar por medo de não receber, os Johns pararam de consumir porque não tinham crédito.

Recessão é sentimento, é medo do futuro, mesmo quem pode, pára de consumir, e o pior pesadelo para uma economia: crise bancária, correntistas correndo para sacar suas economias, boataria geral, pânico.

John devolveu todos os bens para as financeiras, e ainda ficou devendo um dinheirão. (Adaptação do artigo publicado em: http://entouragetrading.blogspot.com)

ARTIGOS RELACIONADOS
  • hightech

    Esta foi a melhor explicação que já li sobre a origem da crise financeira. Foi melhor ainda do que a da Folha de São Paulo, que é um jornal bastante didático.
    Parabéns! Finalmente pude entender com clareza o mecanismo do crédito imobiliário estadunidense.
    Obrigado!

  • Muito boa a sua explicação sobre o assunto!

  • Thatyany

    Nossa, até hoje não havia entendido oque realmente era essa crise, mas sua explicação tirou todas as minhas dúvidas. Parabéns, vc foi direta e muito clara!!!!

  • Pingback: Crise econômica 2008 • Curso Tecnico()

Política de Privacidade • 2017 (CC)