Galeria com desenhos Mangás e Animes eróticos e sensuais


Mangá se refere ao quadrinho estilo Japonês e o Anime é o desenho animado feito com esses quadrinhos.

Mas também há o processo inverso em que os animes tornam-se uma edição impressa de história em sequencia ou de ilustrações.

Os Mangás são comumente classificados de acordo com seu público-alvo, estes abaixo são apelidados de Hentai que é uma corrente mais realista voltada ao público adulto, não necessariamente pornográficos.

ARTIGOS RELACIONADOS
  • lapis_vs_camera_18
  • pin-up_30
  • fotos-e-pin-up_12
  • herotismo_branco_preto_93
  • Marcos

    esse cara q escreveu esse artigo nao tem o que escrever, quer se promover, e ainda, sou totalmento a favor da ideia de os estudantes brasileiros ser submetidos ao mesmo exame empregados para revalidaçao, daí a verdade seria notória, um numero extremamente grande de reprovaçao. Aliás, conheço uma pessoa que estuda na bolívia, quinto ou sexto ano, que veio de férias e tirava plantões com alunos do mesmo período daqui do brasil, afirmou q os caras nao sabem nada, q aprendem muito menos que os alunos das universidades bolivianas.

    • Rodrigo

      Acho que, além de desinformado, você precisa aprender a escrever melhor, pois, assim, não terá nenhuma credibilidade no que diz.

    • Supersincero

      Faz-me rir! De vocês já vi aos montes!!! Nem uma anamnese decente sai… me poupe!

  • dozo

    Eu sou Médico. A medicina da Bolívia ruim é sim, a de Cuba também (surpresa). Esse índice de reprovação não atinge médicos dos EUA que vem aqui, por exemplo. Qualquer faculdade reba aqui é melhor que qualquer uma da Bolívia e Cuba.

    • Bentler-

      Não quero rogar praga, mas se algum dia você ou alguém da sua familia for lesado ou morto por um erro médico, você se lembre do que você escreveu neste blog. Como médico, deve saber que 70% dos médicos do Brasil não tem residência médica por nao passar nas provas, não sabe ainda, que a Bolívia é referência em cirurgia plástica, enquanto o Brasil é lider em erros médicos no ranking mundial. Sinceramente, eu só afirmo alguma coisa quando eu tenho fundamento, e quando vejo gente desse nível, só tenho mais certeza de que estou agindo da forma certa.

      • Supersincero

        Kkkkkkkkkkkkkk… O Brasil é referência em cirurgia plástica, gastroenterologia e muitas outras áreas, e com toda certeza tem muito mais fundos para pesquisa do que as faculdades bolivianas!!! O povo só vai fazer plástica lá pq é mais barato!!! Quando começar a morrer por aí, quero ver!

      • Gracian

        Assim como se faz no curso de Medicina, preciso das suas referências quanto a essa informação de que a Bolívia é referência em cirurgia plástica, além da referência sobre esse ranking de erros médicos mundiais. Numa busca rápida pelo site do WHO, que foi a primeira entidade que me veio em mente interessada em fazer esse relatório, não vi nenhum ranking.

        Aliás, o Brasil é o segundo país em número de cirurgia plásticas realizadas por ano no mundo, perdendo apenas para os EUA, recebendo, inclusive, pacientes de todo o mundo. Sim, nós certamente somos referência em cirurgia plástica estética. (http://www2.cirurgiaplastica.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=100:plastica-de-mama-ultrapassa-lipo&catid=42:saiu-na-midia&Itemid=87)

        Sobre erro médico: acredito que o senhor não deixará de ser humano ao completar o curso. Também acredito que não ficará só com o diploma na parede de enfeite e realmente será médico. Pois então estás sujeito ao erro médico tanto quanto qualquer um. O que precisamos saber é como evitá-lo. Pois existem uma série de artigos sobre o assunto (http://www.ahrq.gov/qual/errorsix.htm) e eu posso lhe apontar alguns critérios de segurança:
        – Esteja certo de ter estudado mesmo tudo e mais um pouco sobre o assunto antes de instruir, prescrever ou fazer qualquer procedimento no paciente;
        – Esteja certo de que aquela é realmente sua área de atuação: garanto que você não deixaria o encanador mexer com os fios elétricos da sua casa;
        – Não atenda 20 pacientes por hora, ou seja, não trabalhe no SUS;
        – Durma bem, não faça plantões emendados sem descanso de pelo menos 24 horas.
        Isso para começar.

        Espero que você tenha realmente certeza de que age da forma certa.

  • Bentler-

    Tu estás te referindo a nível de aluno e não de instituição, uma faculdade é apenas um vetor condicionante, profissional é o próprio aluno que se faz, porque conheço médicos formados na Bolívia que são excelentes, e conheço também as dificuldades encontradas por lá, voce ta julgando por alunos, imagine então como os EUA veria o Brasil se este fosse julgado pelos seus políticos? A estatistica pode estar correta, mas tanto é similiar a realidade brasileira que há tempos o CFM quer impor a mesma prova aos estudantes daqui. De fato, existem muitos alunos que só pensam em dinheiro e não tem vocaçao e nem competencia pra medicina, mas outros que querem crescer e não tem dinheiro suficiente pra pagar uma particular, porque o governo ao inves de investir no PROUNI, da bolsa familia pra marginal comprar drogas todo mês, essa sim é a realidade. A propósito, já vi pelo teu nível ortográfico que tu deves estudar na pior faculdade da Bolívia e estar incluso na referida estatistica.

    • Supersincero

      Ah é?! ME faça uma listas desses médicos maravilhosos formados na bolívia, please?! Faz-me rir!

  • Bentler-

    Tu estás te referindo a nível de aluno e não de instituição, uma faculdade é apenas um vetor condicionante, profissional é o próprio aluno que se faz, porque conheço médicos formados na Bolívia que são excelentes, e conheço também as dificuldades encontradas por lá, voce ta julgando por alunos, imagine então como os EUA veria o Brasil se este fosse julgado pelos seus políticos? A estatistica pode estar correta, mas tanto é similiar a realidade brasileira que há tempos o CFM quer impor a mesma prova aos estudantes daqui. De fato, existem muitos alunos que só pensam em dinheiro e não tem vocaçao e nem competencia pra medicina, mas outros que querem crescer e não tem dinheiro suficiente pra pagar uma particular, porque o governo ao inves de investir no PROUNI, da bolsa familia pra marginal comprar drogas todo mês, essa sim é a realidade. A propósito, já vi pelo teu nível ortográfico que tu deves estudar na pior faculdade da Bolívia e estar incluso na referida estatistica.

  • Bentler-

    Essas questões explicitam a falta de conhecimento de quem participa da polêmica que chega a se tornar uma redundância. Ninguém aqui, e creio que nenhum estudante sério na Bolivia estejam lutando pela exclusão da prova ou revalidação automática, só o que se pede é RESPEITO. Primeiro, pelo fato de existirem excelentes alunos em excelentes faculdades bolivianas, com carga horaria superior a do Brasil, cuja a diferença de horas seria equivalente a um curso de administraçao por exemplo, precisa-se sim ter o respeito a populaçao, só precisa-se de justiça. A prova em que foram aprovados dois alunos, copiaram e colaram a prova de R3(terceiro ano de residencia cirurg.ica) e colocaram para um médico recém-formado fazer, aonde está o direito de igualdade então ?? Porque não se transcreve uma prova de um concurso pra juiz ou desembargador como prova da primeira fase da OAB ? Em proporções seria o mesmo. Proprios professores fizeram uma estatistica de que de 20 mil que se inscrevem pra medicina, 500 são considerados excelentes, fora os bons, mas somente 40 entram, o restante que tem condição, vai para uma faculdade particular, quem não tem, procura lutar. Se existe avontade de ser médico, excluindo-se ambiçao e afins, mudar de pais s para estudar medicina, por encontrar uma faculdade em que a conversão monetaria lhe dá condições de estudar, porque muita gente confunde isso, as faculdades na Bolivia não sao baratas, a conversão do real para a moeda deles é que facilita, mudar de país e deixar familia e amigos acima de tudo, é uma atitude de amor a profissão. Pra quem disse que tem vagas pra todos, espero que voce um dia passe o dia todo numa fila do SUS pra ser mal atendido, por não ter médico, e repita que teve vagas pra todos.

    • Cassiousa

      Engracado quando se fala medicina no exterior, todo mundo fala o quer, mas acredito eu que medicina é sempre será medicina em qualquer lugar do mundo, ou no Brasil os seres humanos tem órgaos a mais, ou melhor, a anatomia é diferente do resto do mundo. Acorda gente, um carimbo com um numero de CRM nao salva vida nenhuma nao, assim como no exterior o Brasil tambem tem maus profissionais, quem faz o bom profissional é ele mesmo, coloca o CRM a caráter da OAB e veja quantos medicos formados no Brasil serao reprovados e nao poderao exercer a profissao.
      Isso é simples, o médico da aula em uma faculdade particular, ele quer ganhar o dele, se todo mundo for estudar no exterior, é um ganho a menos no bolso deles, verdade que hoje no Brasil, ninguem se preocupa com a vida e sim com o quanto entrará no seu bolso. Sou da regiao suldesste, mais específico, Minas Gerais. E quero me formar e ir para a regiao Norte-Nordeste, onde realmente as pessoas sao carentes de profissionais na área da saúde. Estudo na UFMG e acho que a saída é estudar fora sim, pois precisamos de profissionais para a área da saúde, seja de onde for. Seja Brasil ou Exterior, sempre averá bons e ruins profissionais.

      • aparecida

        Gostei da sua resposta n sou da area da saude mas concordo plenamente c vc, se aqui tudo é por meio de politica ou dinheiro o jeito é pocurar outro país tudo vai depender do profissional pois medicina se´ra sempre medicina onde quer que esteja.

      • Supersincero

        DEixa de ser mentiroso, tu quer vim pra cá é porque aí onde vc mora já não se pagam tão bem quanto aqui! Pensamento mercenário!!! Nós formamos por médicos aqui, não precisa vc vim não, meu querido!

    • Rah_assis

      Eu não encontraria palavras melhores pra escrever o que pensei quando li a matéria.

      “Quando o estudante se prepara, tem um bom conhecimento e deseja ser um médico de verdade ele com certeza passara em uma Universidade Publica ou em uma particular de qualidade.”

      Eu não sei se é uma afirmação pra rir, ou pra chorar. É triste que ainda existam pessoas que caem nessas pegadinhas do governo e da televisão.
      Eu realmente não entendo… E só tenho a concordar com cada palavra que vc colocou.

      • Alexandre

        Acredito que a Medicina é uma ciencia que requer dedicação integral, independentemente do lugar que estudou ou estuda, o aluno tem que se dedicar de corpo e alma, se porventura o cancer que existe no sistema do conselho medico brasileiro afetar alguem que com tanto sacrificio lutou pelo titulo de medico, desperto o fato de que todos os paises que possuem o mesmo idioma do local de formação, é totalmente aceitavel e legal o exercicio da profissao, ou seja, o Brasil é nossa terra desde que ele queira que seja nossa Terra, se nao querer, existe muito lugar bom pra se viver, e que tratam os extrangeiros como um deles, acreditem……..abraços

      • Alexandre

        Acredito que a Medicina é uma ciencia que requer dedicação integral, independentemente do lugar que estudou ou estuda, o aluno tem que se dedicar de corpo e alma, se porventura o cancer que existe no sistema do conselho medico brasileiro afetar alguem que com tanto sacrificio lutou pelo titulo de medico, desperto o fato de que todos os paises que possuem o mesmo idioma do local de formação, é totalmente aceitavel e legal o exercicio da profissao, ou seja, o Brasil é nossa terra desde que ele queira que seja nossa Terra, se nao querer, existe muito lugar bom pra se viver, e que tratam os extrangeiros como um deles, acreditem……..abraços

      • Alexandre

        Acredito que a Medicina é uma ciencia que requer dedicação integral, independentemente do lugar que estudou ou estuda, o aluno tem que se dedicar de corpo e alma, se porventura o cancer que existe no sistema do conselho medico brasileiro afetar alguem que com tanto sacrificio lutou pelo titulo de medico, desperto o fato de que todos os paises que possuem o mesmo idioma do local de formação, é totalmente aceitavel e legal o exercicio da profissao, ou seja, o Brasil é nossa terra desde que ele queira que seja nossa Terra, se nao querer, existe muito lugar bom pra se viver, e que tratam os extrangeiros como um deles, acreditem……..abraços

  • Bentler-

    Essas questões explicitam a falta de conhecimento de quem participa da polêmica que chega a se tornar uma redundância. Ninguém aqui, e creio que nenhum estudante sério na Bolivia estejam lutando pela exclusão da prova ou revalidação automática, só o que se pede é RESPEITO. Primeiro, pelo fato de existirem excelentes alunos em excelentes faculdades bolivianas, com carga horaria superior a do Brasil, cuja a diferença de horas seria equivalente a um curso de administraçao por exemplo, precisa-se sim ter o respeito a populaçao, só precisa-se de justiça. A prova em que foram aprovados dois alunos, copiaram e colaram a prova de R3(terceiro ano de residencia cirurg.ica) e colocaram para um médico recém-formado fazer, aonde está o direito de igualdade então ?? Porque não se transcreve uma prova de um concurso pra juiz ou desembargador como prova da primeira fase da OAB ? Em proporções seria o mesmo. Proprios professores fizeram uma estatistica de que de 20 mil que se inscrevem pra medicina, 500 são considerados excelentes, fora os bons, mas somente 40 entram, o restante que tem condição, vai para uma faculdade particular, quem não tem, procura lutar. Se existe avontade de ser médico, excluindo-se ambiçao e afins, mudar de pais s para estudar medicina, por encontrar uma faculdade em que a conversão monetaria lhe dá condições de estudar, porque muita gente confunde isso, as faculdades na Bolivia não sao baratas, a conversão do real para a moeda deles é que facilita, mudar de país e deixar familia e amigos acima de tudo, é uma atitude de amor a profissão. Pra quem disse que tem vagas pra todos, espero que voce um dia passe o dia todo numa fila do SUS pra ser mal atendido, por não ter médico, e repita que teve vagas pra todos.

  • Edison-tomaz

    Concordo com a matéria. Até no Brasi,l Universidades Privadas, por serem puramente mercantilistas, formam profissionais sem as minimas condiçoes. Basta ver os noticiários acerca dos absurdos médico cometidos.

  • Edu500ac

    É perfeitamente razoável que estudantes brasileiros procurem cursos de medicina em países em que o custo de vida é mais barato. Entretanto, há soluções bem mais simples e efetivas do que as perseguidas por esses jovens. Tomemos o caso de meu filho. Ele quer estudar medicina em um país onde o custo de vida é baixo e a qualidade do ensino é alta. Que país é esse? A China, claro. Está se tornando a maior potência do mundo e tem o custo de vida ridiculamente baixo. Assim, meu filho começou a estudar chinês por volta dos 12 anos de idade. Aos 18 anos, foi para a China trabalhar e ambientar-se com o país. Voltou no ano passado e fez o ENEM. Ora no Brasil há 180 faculdades de medicina, com 15000 vagas (um recorde mundial); só em escolas públicas são mais de 6000 vagas. Só não entra quem não quer estudar. Então meu filho entrou em uma universidade federal que tem convênio com a China. Como ninguém candidatou-se às vagas do convênio por desconhecer o idioma chinês (gente que não quer estudar nem mesmo o idioma mais falado do mundo), ele é candidato único. Vai para a China, faz o curso em uma das melhores universidades do mundo (Tsing Hua), volta, faz o sexto ano aqui em uma federal, recebe o diploma da federal. Fica com dois diplomas, o chinês e o brasileiro. Sem exame de revalidação e com ganho de qualidade. Além de melhorar os conhecimentos de uma língua estrangeira importante.

    Além da China, há outros países avançados em medicina (até com professores que ganharam o prêmio Nobel) que oferecem vagas para brasileiros e têm o custo de vida baixo. Um exemplo é a Ucrânia. Outro exemplo é a Rússia.

  • Faela_sandri

    Acredito que quem é brasileiro e tem competencia , não procura fazer faculdade em outro país, pois ate mesmo quem não possui condiçoes financeiras hj pode recorrer a processos de financiamento do curso…
    Quem quer ser medico tem q assumir compromisso com a vida, e estudar para valer, quem tem competencia não precisa sair de seu país . quem sai não tem a minina respondabilidade de estudar e quer ser medico? aiai

    • Lyzi

      esse ridiculo … vai ver que nem faculdade tem.. e um frustrado ,pois competencia não existe fronteiras , gostaria de saber porque tantos brasileiros precisam se especializar nos estados unidos??? ja que o pía aqui.. oferece tudo então pq sair??? não seja ridiculo … oq ue vale eh a persistencia em se fazer algo que realmente queira … é isso que vale … qto a bolivia tenho certeza que respeitam muito mais o ser humano do que muitos brasileiros … abra uma revista dos usa e veja como eles veem os brasileiros… vc vai querer se enterrar em uma cova rsrsrsrs

    • Lyzi

      esse ridiculo … vai ver que nem faculdade tem.. e um frustrado ,pois competencia não existe fronteiras , gostaria de saber porque tantos brasileiros precisam se especializar nos estados unidos??? ja que o pía aqui.. oferece tudo então pq sair??? não seja ridiculo … oq ue vale eh a persistencia em se fazer algo que realmente queira … é isso que vale … qto a bolivia tenho certeza que respeitam muito mais o ser humano do que muitos brasileiros … abra uma revista dos usa e veja como eles veem os brasileiros… vc vai querer se enterrar em uma cova rsrsrsrs

    • Lyzi

      esse ridiculo … vai ver que nem faculdade tem.. e um frustrado ,pois competencia não existe fronteiras , gostaria de saber porque tantos brasileiros precisam se especializar nos estados unidos??? ja que o pía aqui.. oferece tudo então pq sair??? não seja ridiculo … oq ue vale eh a persistencia em se fazer algo que realmente queira … é isso que vale … qto a bolivia tenho certeza que respeitam muito mais o ser humano do que muitos brasileiros … abra uma revista dos usa e veja como eles veem os brasileiros… vc vai querer se enterrar em uma cova rsrsrsrs

  • Douglas Martins

    No Brasil a desigualdade é enorme, e medicina acabou sendo um curso de pessoas ricas, pois um pobre não tem condições de disputar em um vestibular contra estudantes de escolas privadas. Os que ainda entram no tão sonhado curso por “facilitamento” do governo, acabam sofrendo muito pois não tem bagagem para acompanhar a turma de medicina. Ironia da reportagem é dizer que há vagas para todos. Faltam médicos no Brasil inteiro. Há cidadãos que nunca viram um médico, consultar-se então… Estudantes de medicina na bolívia provam desejo e vontade de serem médicos, só pelo fato de sairem de casa em busca desse sonho. Claro, estudantes irresponsáveis existem em todos os cursos, particulares ou não, de medicina ou não, como posso ver em minha sala de medicina na faculdade federal do triangulo mineiro: futuros médicos ótimos e outros que serão “LIXOS”!!!!

  • Supersincero

    Concordo com tudo que está no texto! Nem sempre podemos fazer tudo o que sonhamos na vida. Não acredito na história de coitadinhod que sonham em ser médicos! Acredito em muito esforço, ralação e ESTUDO!!! É isso esse folgados fazem bem pouquinho. Riqueza não quer dizer INTELIGÊNCIA! VÃO ESTUDAR E FAZER AS COISAS DIREITO! Mais do que teimar em fazer um curso de 5ª categoria SÓ POR STATUS SOCIAL E FINANCEIRO, examinem a consciência e tenham caráter: não dá pra ter a responsabilidade da vida de alguém nas mãos com uma péssima formação em um faculdade de péssima qualidade que custa 250 reais! Pronto, disse!

    • Dra. Lan@

      A você “Supersincero” só tenho-lhe a resaltar: A qualidade do ensino em qualquer faculdade será influênciada apenas pelo aluno, uma vez que o professor sendo seu guia para tal assunto, e quem realmente ira “aprofundar, pesquisar, confirmar, descobrir” qualquer tema em discursão será o aluno/universitário. Entretanto, se o aluno sai da sala de aula e não vai fazer o que todo e bom professor orienta (desdes nossos infância onde aos pais, sua responsabilidade, nos primeiros anos de vida, são peças importantes para os primeiros contatos com a linguagem portuguesas, que seria ESTUDAR E REVER A LIÇÃO MINISTRADA EM SALA DE AULA), sem isso, concerteza existirar pessímos alunos e consequentemente um PESSIMO PROFISSIONAL. Então independente de formar na USP-SP ou UCEBOL-BOLIVIA, ao aluno e futuro MEDICO, DENTISTA, ENFERMEIRO, FISIOTERAPEUTA, etc. Seu objetivo será alcançado a partir de muito estudo, dedicação e força e vontade. Então se você tem e quer fazer medicina fora do Brasil, faça e acredite em você mesmo, pois muitos dos bom profissionais de hoje são formados ou tem algum tipo de especialização no exterior.
      Diz ai SUPERSINCERO o $ no intercambio é 5 vezes maior, então não será apenas 250 reais a facul compreende?
      bjim amore

    • Daniel Cordovil

      Vocês q tem essa mente medilcre nao sabem o q é politica e nem ao menos entendem nada sobre medicina. Quem sao voces pra julgarem um ensino em Faculdades na Bolivia? Pra o conhecimento de voces entrem no site do MEC e voces vao ver que 70% dos medicos do Brasil sao formados no exterior, apenas 30% sao formados no Brasil, isso mostra que a qualidade do ensino no exterior nao é tao ruim assim como dizem. Só sabe quem estuda. No Brasil tem muita burocracia, muita fescura. Na Bolivia a faculdade é barata pq nao tem tanto imposto como no Brasil. E as faculdades do Brasil sao caras devido tanto impostos e a carencia de cadaver pra estudar pratica. Entao antes de vcs entrarem num site pra falar merda, procurem conhecimento primeiro antes de se expor ao ridiculo. E vao estudar.

  • Supersincero

    Da mesma forma que n tem vaga pra medicina pra todo mundo, imagina pra residência médica, tem muito menos. A diferença crucial é que os médicos não passam aqui nas residências por falta de vagas e vocês por falta de conhecimento!!! Quiseram se esquivar do vestibular, pois agora estudem pra passar na prova de revalidação, ou então façam uma faculdade de medicina de verdade NO BRASIL!!!

  • Supersincero

    Ah, e meu filho, quem não estuda jamais entrará na USP!!! E se entrar, pra sair terá que estudar. Então, nem em sonho um médico formado na USP será um merda! Merda são os formados nas péssimas universidades bolivianas e que n estudam!!!

  • Supersincero

    Ah, e meu filho, quem não estuda jamais entrará na USP!!! E se entrar, pra sair terá que estudar. Então, nem em sonho um médico formado na USP será um merda! Merda são os formados nas péssimas universidades bolivianas e que n estudam!!!

  • Supersincero

    Aprende a escrever primeiro: é FRAUDADO! Segundo, então tá, mas cada médico terá que exibir no hall de entrada do seu consultório onde se formou, porque eu que não quero me consultar com um charlatão boliviano!

  • Supersincero

    Cotas aceitável?! Elas não estão caminhando, estão é caindo. Isso tudo é tão ridículo que o Supremo Tribunal Federal já começou a discutir a constitucionalidade das cotas, que obviamente são totalmente INCONSTITUCIONAIS. VÃO ESTUDAR. PASSA NO VESTIBULAR QUEM ESTUDA MAIS, QUEM SABE MAIS, ASSIM COMO EM QUALQUER CONCURSO PÚBLICO!

  • Gracian

    Uma coisa é a má distribuição dos médicos pelo território nacional. Existem extensos estudos sobre esse fenômeno mas a maioria concorda que não é por FALTA de médicos, e sim pela aglomeração dos mesmos em grandes centros. Os últimos dados do DATASUS mostram a média de 1,71 médico/1.000 habitantes, algo comparável ao 1,97 médico/1.000 habitantes do Canadá, por exemplo.

    Outra coisa é afirmar que faltam médicos e que deveríamos aumentar esse número a todo custo. Digo “a todo custo” porque mesmo que o índice do Canadá, onde o sistema de saúde funciona muito bem pela Educação que o povo recebe, indo procurar o nível primário antes de encherem as salas de emergências de instituições terciárias, não há aumento de escolas médicas, inclusive havendo a “importação” de profissionais de outros países, como o nosso.

    O que eu vejo, cada vez mais, são gerações em que o limiar para frustração é cada vez mais baixo e a idéia de esforço e ganho meritório algo nunca antes ouvido. Explico-me. É mais fácil colocar a culpa TOTALMENTE em algo externo que assumir que algum desses outros possíveis – e muito comuns – cenários seja verdadeiro:

    1) A Educação no país, principalmente em nível fundamental e médio está completamente abandonada. Claro que recursos são importantes. Mas o principal, o que realmente importa, é como o ensino é encarado. Nenhum professor tem a capacidade de enfiar a matéria na cabeça de ninguém contra a vontade. É necessário que o aluno tenha vontade, queira aprender, DESDE CEDO. Que ele veja a escola como um meio. Sim, a escola tem que ser atraente, mas principalmente o ALUNO tem que se esforçar. A menos que seja uma aptidão inata, aprender não é um processo isento de esforço e de deixar horas de diversão de lado, e repito, DESDE CEDO. Não é fácil para ninguém, aliás, nem para quem ensina. E num nível básico, o processo de aprendizado é algo a ser treinado. É por isso que, quanto mais “extenuante” um curso seja, mais é exigido que o aluno tenha tido um resultado melhor num nível inferior. RESUMINDO: as crianças nas escolas não estão interessadas em aprender o básico, pensando que aquilo não terá jamais aplicação prática e que é tudo inútil. Na verdade, estão desperdiçando o tempo crucial em que deveriam estar treinando o aprendizado para o resto.

    2) Todos nos rejubilamos quando vemos alguém que se esforçou por algo consegui-lo. Ao mesmo tempo, é certo que ficaríamos frustrados e sentindo-nos injustiçados se alguém que sequer soubesse falar corretamente conseguisse uma vaga de emprego que nós almejávamos. MÉRITO. E para isso, mais esforço. Muitos podem dizer que, utopicamente, todos deveríamos ter direito a ser o que quiséssemos. Mas a realidade que muitas pessoas não foram ensinadas a ver é que não podemos. Nem todas as meninas poderão ser modelos, nem todos os garotos jogarão futebol num grande time, nem todos que almejam ser médicos serão. A vida é assim. Devemos lutar para mudar isso? Claro!!! Mas a maneira certa é preparar-se mal e rezar para não acabar matando um paciente? É sinceramente achar que o curso ministrado em países como a Bolívia consegue prepará-los para a vida nas salas de emergências se nas várias provas de validação que presenciei quase ninguém sequer consegue a média de treineiros de residência das faculdades brasileiras? Não! A resposta: ESFORÇO!!! Com tantos jovens querendo seguir o caminho da Medicina, eu pergunto a vocês: por quê? Se vocês me responderem que é pelo paciente que vocês ajudarão, então eu digo: esforcem-se, eles realmente precisam de vocês, e precisam que vocês façam a melhor faculdade possível, que estudem desde a primeira série, que saibam ler corretamente os compêndios intermináveis, que saibam ler corretamente os artigos internacionais para poderem ajudá-los. Agora, se o título e o diploma é apenas para ajudar a vocês mesmos, por favor, escolham outra profissão.

    Não, não é obrigação do Governo fazer de vocês médicos. É obrigação de vocês mesmos. E isso, senhores, não é a escola – pública ou particular – ou a faculdade que fará. São vocês mesmos.

    Estudem. Está TUDO nos livros.

  • Iolete_martins

    Realmente dão dá para acreditar que tem pessoas que acham que só o fato do estudante se formar em universidade federal, pública seja pré-requisito para que ele seja um bom profissional. O que importa é o esforço pessoal e a vontade de ser médico. Não importa onde ele estude. Existem maus profissionais em todas as áreas!!!!!

  • ariana

    quien es bosee para falar que mi pai es micerable miles de blasileos y bolivianos se foidiarmaron aqui consguieron el crm y no tienen nadaa que envidiar a uivercidades privadas oestatales del brasil ose como ora gente ignorante sta tan mal informado de etste pais … lo invito a conocer bolivia para que vea realmente lacalidad de vida y ensenasa que hay aqui

  • Camila24

    Que triste las personas que hablan mal de un pais que poco conocen, pues Bolivia es un lindo país y la calidad de vida es excelente. En Bolivia respetamos los principios y la moral y me parece que muchos brasileros deberian agradecer que somos un país sin prejuicios ni preconceptos que recibimos a todos los brasileros con los brazos abiertos. Reflexiona un poco sobre los comentarios sin fundamento que estas exponiendo en internet. En Bolivia existimos profesionales altamente calificados, yo me presenté en un concurso público del Brasil, obtuve el primer lugar en una lista de 365 inscritos brasileros y fui felicitada por mi excelente gramatica, redacción, ortografia, conocimientos generales y conocimientos especificos y……SOY BOLIVIANA con mucho orgullo.

    • Mauropsoares

      querem ver algo raríssimo? achem um estudante da Bolívia que passou em uma prova de residência no Brasil.

    • Eduardo

      sou médico formado na Bolívia,e revalidei o meu diploma com muito esforço e estudo,p/ que tu saiba meu caro,uns dos meus amigos hoje é um ortopedista bem sucedido (fez residência no HC/USP-aprovou em 3 lugar),o mesmo formou na mesma universidade que ingressei – UCEBOL,então não seja incoerente.

  • Camila24

    Que triste las personas que hablan mal de un pais que poco conocen, pues Bolivia es un lindo país y la calidad de vida es excelente. En Bolivia respetamos los principios y la moral y me parece que muchos brasileros deberian agradecer que somos un país sin prejuicios ni preconceptos que recibimos a todos los brasileros con los brazos abiertos. Reflexiona un poco sobre los comentarios sin fundamento que estas exponiendo en internet. En Bolivia existimos profesionales altamente calificados, yo me presenté en un concurso público del Brasil, obtuve el primer lugar en una lista de 365 inscritos brasileros y fui felicitada por mi excelente gramatica, redacción, ortografia, conocimientos generales y conocimientos especificos y……SOY BOLIVIANA con mucho orgullo.

  • Camila24

    Que triste las personas que hablan mal de un pais que poco conocen, pues Bolivia es un lindo país y la calidad de vida es excelente. En Bolivia respetamos los principios y la moral y me parece que muchos brasileros deberian agradecer que somos un país sin prejuicios ni preconceptos que recibimos a todos los brasileros con los brazos abiertos. Reflexiona un poco sobre los comentarios sin fundamento que estas exponiendo en internet. En Bolivia existimos profesionales altamente calificados, yo me presenté en un concurso público del Brasil, obtuve el primer lugar en una lista de 365 inscritos brasileros y fui felicitada por mi excelente gramatica, redacción, ortografia, conocimientos generales y conocimientos especificos y……SOY BOLIVIANA con mucho orgullo.

  • Angelo

    Discordo totalmente do seu texto, qual a resposta você teria então para a seguinte estatististica.

    Olha o que você falou “ser um médico de verdade ele com certeza passara em uma Universidade Publica ou em uma particular de qualidade”

    Último vestibular unifesp, 17.000 concorrentes, para um banco de vagas aprox. 100 alunos.

    Então quer dizer que os 16.900 que não conseguiram passar, são burros? são incopetentes?

    digamos que dos 16.900 apenas 100 tem condições de pagar 2 ou 3 mil reais de mensalidade. Restaram então 16.800 ?

    caso alguns deles tiverem 1mil reais para estudar na bolivia ou paraguai ou qualquer outro lugar? serão médicos burros? serão médicos miseráveis?

    restaram 16.700 alunos que para você são classificados como o que?

    O que você realmente faz?

    Obs: Não tentei nenhuma universidade pública ainda, mas ficaria muito feliz se tivesse condições de estudar fora, mesmo que aqui do lado.
    Quem faz o aluno não é a universidade e sim o próprio interesse do aluno.

  • Vagner Diego

    Você nem sabe do que está falando, o que garante que uma pessoa que fez vestibular pra ingressar em uma faculdade será melhor médico que outro que fez na bolívia por exemplo?? meu amigo seu você não sabe o corpo humano é igual no mundo inteiro, o que define o bom médico não é o lugar que passa no vestibular, nada garante que um pessoa que passou em 1º lugar no vestibular vai ser melhor médico que outra que nem fez vestibular, se você não sabe, países com bolívia, cuba, argentina utilizam o mesmo método de ensino europeu, lá todo mundo tem a mesma chance de estudar, eu sei disso porque estudo na argentina e pelo menos por lá a medicina é mais avançada do que no brasil, minha faculdade é considerada uma das melhores da américa latina do setor de medicina, entretanto, existem aquelas pessoas que não querem nada com nada né, que vão estudar lá só por status, mas esses são a minoria, por isso cara antes de falar alguma coisa das pessoas que estudam no exterior pesquise sobre o assunto pra não fazer suposições burras e infundadas, conheço muita gente boa por lá, que no futuro se tornarão ótimos médicos…

  • Cristovam pereira pontes

    HOLA yo acho a Bolivia a sossiedade tem uma diciplina a manera de se porta e com muinto respeito aos outros. deicha te fala o cirugiao plstico pitagui q ten clinica no Rio de Janero Famoso trabalha em qual quer lugares do mundo como o melhor o meo medico formou la tabem eu conhesso outros q se formara sao muito boms med

  • Mauropsoares

    querem ver algo raríssimo? achem um estudante da Bolívia que passou em uma prova de residência no Brasil.

  • Thayna_mazzari

    DISCORDO COMPLETAMENTE DESTE ABSURDO QUE LI ACIMA.. e falarei de uma otica importantissima, a de paciente, recentemente fui ser operada na Bolivia, em santa Cruz de la sierra, NUNCA fgi tao bem tratada e passei por um pos operatorio maravilhoso, é uma pena que tenha brasileiros como vc, que cataloga as pessoas por estereótipos, e lá não tem nada de miserável, miserável é sim a sua mentalidade chula..
    Amo a Bolívia voltarei lá sempre se sempre..são bons medicos, bons amigos e um povo muito hospitaleiro..

  • Geyson Florencio

    Não sou contrário as pessoas que se formam na Bolívia e passam, de forma honesta, na prova de revalidação aqui! Mas apenas um dado interessante, de 628 que tentaram revalidação aqui no Brasil no ano passado, oriundos da América Latina, apenas 2 conseguiram.
    Então, se passarem pela prova e conseguirem aprovação, SEM MUTRETAS, que sejam bem-vindos!

  • Senffb

    E, por isso que no Brasil as coisas nao funcionam mesmo. Existem um monte de bostas formados na faculdade publica brasileira paga pelos pobres com seus altos impostos e depois saem de la como se tivessem o rei na barriga querem ganhar muito dinheiro e atender pouco. Porque enchem muito a bolinha deles. Maus profissionais inclusive medicos existem em todos lugares e no Braisil esta cheio.

  • Roudinei

    É, a coisa aqui realmente esquentou um bocado. Bom, vou dar a minha opinião de pois de ler dezenas de comentários, a maioria deles, em favor da medicina que se pratica na Bolivia, Argentina, Cuba, enfim… Quero dizer ao autor do texto acima e a todos os que deram suas opiniões contra a medicina desses países e contra os profissionais que são gerados por lá, que ACORDEM…. ACORDEM… Existe medicina de qualidade e saúde fora do Brasil. Acordem. Deixem de achar que temos o rei na barriga e somos melhores que os outros porque HELLOOOO, como diria a minha priminha de 4 anos, nós não somos melhores do que eles. E eles também não são melhores do que nós. ACORDEM, repito. Vocês acham mesmo que se não fossem por nós brasileiros, se não fosse a nossa maravilhosa medicina os nossos irmãos sul-americanos e igualmente em processo de desenvolvimento, morreriam à mingua? É isso??? Kkkkkk ai meu Deus, isso me faz rir. Quantos hispanoamericanos o Brasil recebe no seu Sistema Único de Saúde para tratamento médico? Pooucos, pouquíssimos, e ainda assim com má vontade e inúmeras restrições. Então, quem vocês acham que previne, trata, reabilita, CURA, SALVA, os 400 milhões, repito, QUATROCENTOS MILHÕES de habitantes da América Hispânica (hispânico é referente a Espanhol, ok?)? São os SUPER-MÉDICOS DO BRASIL? Nãaaao, são os super-médicos de lá mesmo, da Argentina, da Bolivia, do Peru, do Uruguay, do México, de Cuba, enfim… são eles. Sem nos pedir nem um pouquinho de ajuda. “Solitos”, como diriam eles, ou “by themselves” para os que acham que Inglês é melhor que Espanhol. Olhem na página eletrônica da OMS e da OPAS os gráficos e índices de saúde pública do Brasil e dos demais vizinhos sulamericanos, vocês verão quem em inúuumeros quesitos os nossos “hermanos” estão dando de lavaaada na gente. A mortalidade infantil, um dos índices mais importantes para se dizer se a saúde de um lugar é boa ou ruim, no Brasil em 2009 foi de 22,6% enquanto no Equador foi de 20,9%, na Venezuela 21,5% (mesmo com o Chavez), na Colombia 18,9% (mesmo com as FARC), na nossa irmã ARGENTINA, de onde vêm muuuuitos dos médicos aqui criticados: 11,4% (BABEM), no Uruguay: 11,3% e no Chile, que pouco se importa se nós brasileiros existimos ou não: 7,7% (DESMAIEM)… E tem outros dados estatísticos de saúde publica em que “los hermanos de habla española” dão de lavaaada na gente. Enquanto o Brasil os rejeita, países da União Européia, como Portugal. França e Espanha os acolhem de braços abertos, revalidam seus diplomas em 4 meses e pagam-lhes ótimos salários em euros. Não fariam isso se se tratassem de pseudo-médicos, não é? Ora pois…
    Por isso meus queridos, tirem o rei da barriga, vocês, aliás, nós, não estamos com essa bola toda não. Nossa saúde anda de bengala, nosso povo morre à míngua perigrinando nas filas do SUS e recebendo soro em cadeiras nos corredores dos hospitais superlotados, aa maiores emergências de Rondônia e de Cuiabá gritam SOCOOOOORRO… enquanto o CFM e a Associação Médica Brasileira luta na justiça para derrubar uma ação da SDE que proibe médicos de cobrarem “por fora” a pacientes já cobertos por planos de saúde. Vocês aí, defendendo a unhas e dentes o direito do bom médico brasileiro, enquanto ele reclama que os 15 mil reais (É, 15.000,00 R$) como mínimo que ele recebe se desdobrando em alguns PSFs e Hospitais é POOOOUCO… Mas continuem, continuem assim… defendam, elogiem, cuidem, idolatrem os seus/nossos médicos, mas nao se queixem da consulta de 5 minutos, em que ele nem te olhou nos olhos, não tocou em você, quase te xinga, te deu uma receita e mandou você sair. 
    Bando de cegos ou hipócritas, o que diferencia os médicos hispânicos dos brasileiros é nada mais nada menos que o idioma que falam, a política que os envolve e o salário que recebem. E o pior de tudo é ter que aguentar gente que acha que é inteligente: PSEUDO-CULTOS, isso sim que vocês são. 

  • Roudinei

    É, a coisa aqui realmente esquentou um bocado. Bom, vou dar a minha opinião de pois de ler dezenas de comentários, a maioria deles, em favor da medicina que se pratica na Bolivia, Argentina, Cuba, enfim… Quero dizer ao autor do texto acima e a todos os que deram suas opiniões contra a medicina desses países e contra os profissionais que são gerados por lá, que ACORDEM…. ACORDEM… Existe medicina de qualidade e saúde fora do Brasil. Acordem. Deixem de achar que temos o rei na barriga e somos melhores que os outros porque HELLOOOO, como diria a minha priminha de 4 anos, nós não somos melhores do que eles. E eles também não são melhores do que nós. ACORDEM, repito. Vocês acham mesmo que se não fossem por nós brasileiros, se não fosse a nossa maravilhosa medicina os nossos irmãos sul-americanos e igualmente em processo de desenvolvimento, morreriam à mingua? É isso??? Kkkkkk ai meu Deus, isso me faz rir. Quantos hispanoamericanos o Brasil recebe no seu Sistema Único de Saúde para tratamento médico? Pooucos, pouquíssimos, e ainda assim com má vontade e inúmeras restrições. Então, quem vocês acham que previne, trata, reabilita, CURA, SALVA, os 400 milhões, repito, QUATROCENTOS MILHÕES de habitantes da América Hispânica (hispânico é referente a Espanhol, ok?)? São os SUPER-MÉDICOS DO BRASIL? Nãaaao, são os super-médicos de lá mesmo, da Argentina, da Bolivia, do Peru, do Uruguay, do México, de Cuba, enfim… são eles. Sem nos pedir nem um pouquinho de ajuda. “Solitos”, como diriam eles, ou “by themselves” para os que acham que Inglês é melhor que Espanhol. Olhem na página eletrônica da OMS e da OPAS os gráficos e índices de saúde pública do Brasil e dos demais vizinhos sulamericanos, vocês verão quem em inúuumeros quesitos os nossos “hermanos” estão dando de lavaaada na gente. A mortalidade infantil, um dos índices mais importantes para se dizer se a saúde de um lugar é boa ou ruim, no Brasil em 2009 foi de 22,6% enquanto no Equador foi de 20,9%, na Venezuela 21,5% (mesmo com o Chavez), na Colombia 18,9% (mesmo com as FARC), na nossa irmã ARGENTINA, de onde vêm muuuuitos dos médicos aqui criticados: 11,4% (BABEM), no Uruguay: 11,3% e no Chile, que pouco se importa se nós brasileiros existimos ou não: 7,7% (DESMAIEM)… E tem outros dados estatísticos de saúde publica em que “los hermanos de habla española” dão de lavaaada na gente. Enquanto o Brasil os rejeita, países da União Européia, como Portugal. França e Espanha os acolhem de braços abertos, revalidam seus diplomas em 4 meses e pagam-lhes ótimos salários em euros. Não fariam isso se se tratassem de pseudo-médicos, não é? Ora pois…
    Por isso meus queridos, tirem o rei da barriga, vocês, aliás, nós, não estamos com essa bola toda não. Nossa saúde anda de bengala, nosso povo morre à míngua perigrinando nas filas do SUS e recebendo soro em cadeiras nos corredores dos hospitais superlotados, aa maiores emergências de Rondônia e de Cuiabá gritam SOCOOOOORRO… enquanto o CFM e a Associação Médica Brasileira luta na justiça para derrubar uma ação da SDE que proibe médicos de cobrarem “por fora” a pacientes já cobertos por planos de saúde. Vocês aí, defendendo a unhas e dentes o direito do bom médico brasileiro, enquanto ele reclama que os 15 mil reais (É, 15.000,00 R$) como mínimo que ele recebe se desdobrando em alguns PSFs e Hospitais é POOOOUCO… Mas continuem, continuem assim… defendam, elogiem, cuidem, idolatrem os seus/nossos médicos, mas nao se queixem da consulta de 5 minutos, em que ele nem te olhou nos olhos, não tocou em você, quase te xinga, te deu uma receita e mandou você sair. 
    Bando de cegos ou hipócritas, o que diferencia os médicos hispânicos dos brasileiros é nada mais nada menos que o idioma que falam, a política que os envolve e o salário que recebem. E o pior de tudo é ter que aguentar gente que acha que é inteligente: PSEUDO-CULTOS, isso sim que vocês são. 

  • edu500ac

    Conheço alguns cursos de medicina no Brasil, mas não tenho idéia de como a coisa seria na Bolívia.  Na UNIVASF, por exemplo, cada turma tem 40 alunos. No geral, a turma é dividida em 2 subturmas, com 20 estudantes cada uma. Tomemos a disciplina de Farmacologia Básica, por exemplo; no presente semestre, existem as duas  subturmas têm aula teórica nas quintas, das 7 às 9. A subturma FARM0002A tem aula prática às sextas, das  14 às 16, e a subturma FARM0002B, das 16 às 18. Claro que a UNIVASF é uma universidade pequena. Em aulas que envolvem pacientes, cada subturma tem 4 estudantes e um preceptor. Claro que a UNIVASF é uma universidade pequena, com poucos professores. Universidades mais ricas, como a UFU ou a UFTM, têm subturmas menores. Subturmas pequenas e laboratórios de qualidade, com um aluno por bancada, é importantíssimo. Então, aqui vâo minhas perguntas: Quantos estudantes tem cada turma na Bolívia? E em Cuba?

    Sei que a ELAM tem 12000 estudantes. Cada turma tem 2000 alunos. Isso significa que as turmas devem ser divididas em 100 subturmas. Seria isso? Ou seriam permitidos dois alunos por bancada? Há equipamentos modernos? Estou falando de tomógrafos, fMRI, microscópios de contraste de fase, microscópios comuns, microscópios eletrônicos, espectógrafos de massa, equipamentos de PCR, PET Scan, eletroforese, etc.

    Outra coisa que me preocupa é o baixo índice de aprovação desses estudantes nos exames de licenciamento. Por exemplo, os alunos da ELAM que prestam o USMLE raríssimamente são aprovados. O resultado não foi muito melhor no exame de revalidação brasileiro, embora o exame brasileiro tenha sido ridiculamente fácil. Como explicar esses resultados?

    • MariaLuizaTakashi

      Edu meu querido, você está muito mal informado. Primeiro a se informar de tudo, para depois, mais só depois digitar algo útil aqui. É brincadeira né 2000 em uma sala, só você mesmo……….

  • elaine cardoso

    A maioria dos estudantes de países estrangeiros dizem que só querem se formar para ´´ajudarem ao próximo´´, como porém se propõe a usarem um CRM falso quando não conseguem revalidar o diploma no Brasil quem nem mostrou a reportagem do Fantático, isso é ilegal, é crime,sem contar que a maioria esta de olho mesmo é nos atissimos salarios pagos aqui no Brasil, pois se fosse só por amor porque depois de formados exerceriam a profissão nos países de formação,onde tem tantas pessoas carentes.Sem contar que também passou na reportagem a história de uma brasileira que trabalha de manicure e garçonete,ué? e onde ela arruma tempo pra estudar, o curso não é ou pelo menos deveria ser integral? aqui no Brasil as aulas começam as sete e vão até quase a noitinha isso nos primeiros anos, imaginem nos ultimos?Estudo numa faculdade particular do Brasil um curso que não é medicina, mas também utilizamos laboratórios, somos uma turma relativamente grande e precisamos esperar um bocado para utilizar os equipamentos agora imaginem nesses países latino-americanos com turmas imensas,como se dá essa divisão levando em consideração que o curso é Medicina, sendo que as melhores universidades brasileiras que oferecem esse curso são turmas entre 40 e 60 alunos apenas.E mais que precariedade das universidades bolívianas que nem mostrado no fantastico,salas super lotadas carteiras todas rabiscadas,dando a enender que existe vandalismo? o pessoal vivendo muito precariamente como ter energia pra se dedicarem aos estudos se parece que nem se alimentam direito?Sem contar o fato das aulas serem ministradas em espanhol, já é dificil aprender em portugues que dirá em outro idioma, além do mais estamos falando de medicina, pessoas que lidaram com vidas humanas, tenho um amigo que estuda na bolívia e me disse que lá é muito pobre sim, ou as pessoas são muito ricas ou extremamente pobres, ou seja um país muito desigual, e para o amigo que disse que os indices de são saúde são mais baixos no Brasil e q temos o Rei na barriga, vc se referiu a 400 milhoes de pessoas nos países vizinhos, Amigo o Brasil tem sozinho cerca de 180 milhóes de pessoas somos o maior país da américa do Sul, então são dados que não fazem sentido, somos muito mais populoso, daí os  indices serem maiores.E mais como futuros médicos que pretendem ser respeite as normas da lei, se são tão bons assim passem no exame, ou vcs acham que o exame de revalidação é tão dificil só para ferrar com a vida de vcs? claro que não, é para evitar charlatões no exercício dessa tão bonita profissão, É pra refletir,provem que são bons passem no exame, e mais se vcs sabem que é burocratico msmo, parem de depois de formados e de fazerem a prova e reprovarem de correrem atrás de um advogado e entrar na justiça, como se quisessem fazer as coisas na marra.

  • elaine cardoso

    A maioria dos estudantes de países estrangeiros dizem que só querem se formar para ´´ajudarem ao próximo´´, como porém se propõe a usarem um CRM falso quando não conseguem revalidar o diploma no Brasil quem nem mostrou a reportagem do Fantático, isso é ilegal, é crime,sem contar que a maioria esta de olho mesmo é nos atissimos salarios pagos aqui no Brasil, pois se fosse só por amor porque depois de formados exerceriam a profissão nos países de formação,onde tem tantas pessoas carentes.Sem contar que também passou na reportagem a história de uma brasileira que trabalha de manicure e garçonete,ué? e onde ela arruma tempo pra estudar, o curso não é ou pelo menos deveria ser integral? aqui no Brasil as aulas começam as sete e vão até quase a noitinha isso nos primeiros anos, imaginem nos ultimos?Estudo numa faculdade particular do Brasil um curso que não é medicina, mas também utilizamos laboratórios, somos uma turma relativamente grande e precisamos esperar um bocado para utilizar os equipamentos agora imaginem nesses países latino-americanos com turmas imensas,como se dá essa divisão levando em consideração que o curso é Medicina, sendo que as melhores universidades brasileiras que oferecem esse curso são turmas entre 40 e 60 alunos apenas.E mais que precariedade das universidades bolívianas que nem mostrado no fantastico,salas super lotadas carteiras todas rabiscadas,dando a enender que existe vandalismo? o pessoal vivendo muito precariamente como ter energia pra se dedicarem aos estudos se parece que nem se alimentam direito?Sem contar o fato das aulas serem ministradas em espanhol, já é dificil aprender em portugues que dirá em outro idioma, além do mais estamos falando de medicina, pessoas que lidaram com vidas humanas, tenho um amigo que estuda na bolívia e me disse que lá é muito pobre sim, ou as pessoas são muito ricas ou extremamente pobres, ou seja um país muito desigual, e para o amigo que disse que os indices de são saúde são mais baixos no Brasil e q temos o Rei na barriga, vc se referiu a 400 milhoes de pessoas nos países vizinhos, Amigo o Brasil tem sozinho cerca de 180 milhóes de pessoas somos o maior país da américa do Sul, então são dados que não fazem sentido, somos muito mais populoso, daí os  indices serem maiores.E mais como futuros médicos que pretendem ser respeite as normas da lei, se são tão bons assim passem no exame, ou vcs acham que o exame de revalidação é tão dificil só para ferrar com a vida de vcs? claro que não, é para evitar charlatões no exercício dessa tão bonita profissão, É pra refletir,provem que são bons passem no exame, e mais se vcs sabem que é burocratico msmo, parem de depois de formados e de fazerem a prova e reprovarem de correrem atrás de um advogado e entrar na justiça, como se quisessem fazer as coisas na marra.

  • quanta ironia…. engraçado que anualmente se formam execelentes e péssimos médicos aqui no brasil o qual podem exercer a profissão normalmente, ja os extranjeiros se quiserem trabalhar legalmente devem passar nessa avalização…, não seria mais justo todos terem de fazer esse exame??, a diferença está no fato que os extranjeiros são normalmente pessoas pobres que dão das tripas e coração para estudar, ja os “excelentes médicos formados aqui” são 90% filhinhos de papai que tem condições de pagar r$3000,00 só de mensalidade de faculdade…

    • edu500ac

      Émerson.
      Não é verdade que os brasileiros que estudam aqui podem pagar 3000 reais por mês. Há 6000 vagas nas escolas públicas. Meu filho estuda em uma universidade federal e não paga nada. Aliás, ele sempre estudou em escola pública, e nunca pagou nada pelos estudos (até os livros eram de graça, dados pelo governo de Minas Gerais). Além disso, não há nenhum preconceito contra universidades estrangeiras, apenas contra as de baixa qualidade. O projeto Ciência Sem Fronteiras, no qual meu filho vai se inscrever, permite que os estudantes de medicina brasileiros façam o curso em qualquer universidade estrangeira de uma lista de 64 instituições de ensino dos Estados Unidos, Europa e Ásia.  O governo brasileiro ainda paga a universidade e dá bolsas de manutenção para os estudantes. Quando voltarem ao Brasil, pelo que entendi da página do Ciência Sem Fronteiras, o diploma será reconhecido automaticamente. Em todo caso, tenho certeza de que um estudante que passou no USMLE e frequentou a Hopkins não terá dificuldade em passar por um exame de revalidação brasileiro.

  • Mesmo achando que o escritor da matéria, foi um tanto quanto preconceituoso, é impressionante, como estudantes de medicina no brasil, tem argumentos tao chulos e defasados para tentar de algum modo menospresar a equiparaçao dos dois paises,no entanto a verdade é que a falta do vestibular, cria uma subclasse de estudantes, e como comheçedor do tema, estudo aqui, é sim uma subclasse de estudantes que jamais teriam sucesso em algo mais excluente como o vestibular, jamais teriam oportunidades e chance alguma com o intelecto que tem de vir a se sobressair no metodo de ingresso ao ensino superior utilizado no brasil, e os dados a respeito da populaçao da america latina, estao baseados no wikipedia que segundo ele, sao 569 milhoes de habitantes, caso vc que mencionou o suposto erro nos dados queira menos 180 milhoes de brasileiros ainda restam 389 porem ao ferrenho defensor da medicina na bolivia, tmb nao seja ridiculo, falando coisas iverossimeas, e que fogem a realidade, a realidade é que realmente, para os nativos é uma realidade diferente, eles nao estao fazendo medicina fugindo de nenhum metodo excluente, que seja proibitivo aos mesmos fazerem medicina, eles normalmente se submetem aos seus metodos, e passam por um processo preparatorio chamado de propedeutica durante o periodo de todo um ano passando periodicamente por avaliaçoes excluentes que corroboram por ir eliminando as menores notas no decorrer de todo o ano da propedeutica, onde só se sobressaem os melhores, e a gentileza dos profissionais medicos é independente a simpatia ou receptividade do seu povo, é simplismente fator do mercado que lhes obriga a ser gentil pelo alto nivel de concorrencia, aqui nao existe sistema publico de saude, vc´s que estudam na bolivia nao estao tentando dizer que se ouvesse um sistema publico aqui as coisas seriam diferentes nao é ?! por que é ridiculo tentar afirmar isso ! Porem nas faculdades privadas onde inexiste qlqr tipo de processo reina a subclasse de estudantes que por si só em fugir de processos seletivos, já sao sim de alguma forma inferiores, porém o que outro amigo mencionou acima, poxa por favor, o que vc como medico quer um laboratorio tao capacitado para que vc faça o exame de pcr ? gamagrafia ? PET ? Isso foi tosquissimo, e é simplismente uma megalomania sua cabeça pseud-superior de alguem quer encontrar motivos modernistas aos quais dentre outros vc tem investido o seu dinheiro, e achar que uma faculdade necessite de alguns reativos e equipamentos para vc brincar, satisfazendo assim o seu ego  super estudante do brasil! Aos outros cordias abraços e para quem conheçe a problematica e é ciente da mesma é impossivel discordar do texto, e quem acha que o texto está equivocado prove ao contrario, passe na prova, deixe de usar argumentos mal embasados e pronto ! Simples assim !

  • mauricio peña

    Brasil por sua atual situaçao de crescimento econômico atrai um número não estimado de profissionais em diferentes areas que fogem do mal pagamento nos países de origem, eu acho democrático o fato de ter uma prova de revalidaçao justa, equitativa e conforme os regramentos de avaliação imperantes no Brasil; seria de fato interesante testar a prova de revalidaçao médica no MEC , o Projeto Piloto em uma amostra aleatoria de estudantes rescém graduados em varias escolas de medicina do Brasil, se o número é maior ao dos alumnos do exterior eu acho justo . Se o número é menor e preciso discernir realidade de fantasia.
    Obrigado
    Atenciosamente
    Um médico estrangeiro em prol da sua revalidaçao, realizando mestrado no seu pais.
    MHPENAM@unal.edu.co

    • edu500ac

      Olá, Maurício.

      Claro que várias universidades brasileiras testam o exame de revalidação  em seus estudantes. As perguntas, além disso, são construídas usando métodos estatísticos, o que exige uma amostra de estudantes de universidades brasileiras. A amostra não precisa de ser aleatória, pois Rasch mostrou que é possível tirar os parâmetros da distribuição de probabilidades de forma independente da amostra; esta, aliás, foi a grande contribuição de Rasch à educação. Além disso, podemos separar os parâmetros do modelo. Leia sobre o método de Rasch em livros de psicometria.

      Testando o exame de revalidação em estudantes da universidade onde sou professor, verificamos que 80% dos estudantes teriam passado na primeira fase do exame. Estou lhe dando essa informação apenas para situá-lo, visto que a amostra não foi aleatória (estudantes voluntários tendem a ser os melhores da turma). Para dizer a verdade, fiquei estupefato ao ver que apenas 2 estudantes de universidades estrangeiras passaram. Esperava que a maioria fosse aprovada, já que o exame foi muito fácil, segundo vários médicos e estudantes com quem conversei.

       Uma das razões para a alta taxa de reprovação deve residir na dificuldade que os brasileiros têm de ler. Os estudantes brasileiros que passam pela peneira do vestibular são bons leitores. Afinal, o vestibular brasileiro é um teste de leitura e interpretação de textos. Estudantes que não passaram no vestibular tendem a não saber ler textos em português. Você pode perceber isso analisando as postagens de brasileiros que estudam na Bolívia.

      Como os livros de medicina são escritos em alguma língua (português, inglês, chinês, latim, russo, espanhol, francês ou alemão), não consigo entender como estudantes que com dificuldades em lidar com a linguagem escrita possam ser bons médicos. Como eles vão entender um artigo na Lancet ou no New England Journal of Medicine?

  • Com tantos comentários acima decidi esclarecer algumas coisas á alguns que saem escrevendo coisas sem ter um conhecimento de fato. Como eu sou uma estudante de medicina na Bolívia e também estudei na Argentina vou responder as perguntas de vcs …. As salas de aula na minha faculdade  tem 40 alunos,os grupos de praticos são de 3 a 5 alunos dependendo do horário e da infra estrutura hospitalar por exemplo se o hospital é de 3 nivel o numero de alunos é maior, em consultorio médico ficam o aluno, o professor e o paciente. Minha sala de aula tem carteiras limpas, ar condicionado ,quadro, computador e data show.  Frequento as aulas em tempo integral maiormente são praticas em hospitais pela manhã e de pela tarde até as 21:15 são as aulas teóricas  de segunda á sábado( ate as 13 hrs). Em relação a tão discutida revalidação e residencia…. tenho muitos amigos que revalidaram e que também passaram em provas da residencia médica no Brasil e o outros que estam fazendo complementação. SOMOS  estudantes normais, pessoas normais tão brasileiros como cada um de vcs e nós vamos voltar para o Brasil sim atrávés de um processo de revalidação justo e honesto, porque é bem verdade que existem pessoas que tentam por meios obscuros sua revalidação,também existem pessoas que são capazes e honestas e farão tudo conforme a lei. Quanto aos aparelhos , exames e outros felizmente temos acesso a tudo nos hospitais de 3 nivel onde passamos nossas aulas praticas durante todo o curso. Os laboratorios são equipados com microscopio (1por aluno) , materiais de microbiologia, peças anatomicas dentre outras coisas.
    Também quero dizer á vocês que é verdade sim que aqui existem maus estudantes mas sinceramente no Brasil também está cheio deles e muitos não passariam nas provas de revalidação assim como os daqui. Então não ha como rotular pessoas , países ou qualquer outra coisa. Cada um é responsável em parte de sua formação, vai das possibilidades de cada pessoa. Em relação a reportagem do Fantástico exibida recentemente… onde mostrou uma faculdade no interior da Bolívia e a saga de pessoas extremamente carentes tentando estudar, acreditem em mim ,essa não é a realidade das faculdades aqui…. mostrar manicure e garçonete que trabalha pra estudar isso no Brasil também está cheio mas sinceramente me pergunto em que horário ela estuda? Porque eu tenho o dia todo cheio como expliquei anteriormente, também não é digno de nós estudantes de medicina na Bolívia , classificar o sentir calor como sofrimento, ora essa! Passar fome??? fala sério!!! Faculdade com infraestrutura duvidosa?? ninguem merece! GENTE essa não é a realidade daqui a faculdade mostrada na reportagem é uma faculdade nova que fica no interior da Bolívia. Em Santa Cruz de la Sierra existem 6 universidades de medicina e todas com 90% dos estudantes brasileirós e NENHUMA tem a infraestrutura como a da mostrada pela reportagem. ENTÃO não nos classifique pela materia apresentada pelo fantastico e quanto a revalidação e residencia existe uma frase muito conhecida que exprime o meu sentimento á respeito ” quem tem competencia que se estabeleça” e assim será! ABRAÇOS Á TODOS E QUALQUER PERGUNTA ESTOU A DISPOSIÇÃO!

    • Oi Gabriela. Estou pensando em ir estudar medicina agora nesse semestre ainda em Santa Cruz de La Sierra. Estive aí e fiquei 4 dias a 1 mês atrás para conhecer a cidade e também as Universidades. Fui até a Ucebol, Udabol e Católica. Queria decidir por alguma delas, porém tenho pesquisado mas encontro muitas informações desencontradas na internet, queria ter algo mais concreto, que me desse segurança para decidir por alguma delas. Em qual delas você estuda? Como é para alugar apto aí? Se puder me ajudar, agradeço MUITO. Meu e-mail se puder responder lá é fabioschuh@homai.com

      • Oi Fábio,
        Posso te ajudar sim! Te mandarei um email e aí começamos a conversar! ABRAÇOS!

        • Jhon Santos

          Oi gabriela, Também estou com a mesma dúvida do caro colega Fábio, muitas informações contraditoria.Minha maior dúvia esta sendo cidade Cochabamba e Santa Cruz e Instituição UNIVALE ou UNIFRAZ.
          Se poder mim ajudar ficarei muito agradecido.
          Desde já muitissimno obrigado. email jhonsantos 20102010@hotmail.com.

  • p.nolasco

    nossa, o problema é o medo dos formados no Brasil perderem campo aos formados no exterior, qm forma no Brasil, não quer de jeito nenhum se enfiar na Amazônia, to mentindo? tudo filhinhos de papai, claro que tem alguns que devemos elogiar, porém na Bolivia tambem temos nossos elogios, e qnto ao senhor sem conhecimento q citou q uma turma na bolivia tem 2000 alunos, primeiro vai la e ve se é assim mesmo antes de ficar repassando informações erradas. MEDICINA NO BRASIL, não passa de uma máfia…

  • douglas flores

    Eu nao consigo ate agora encontrar a resposta de porque aqui na fronteira, pessoas vein de todos os estados en procura dos medicos bolivianos….muito deles con recursos económicos adecuados para ir fora do continente..ainda assin vao fora do brazil para tentar outros medicos, tamben deberiamos falar das muitos reportagens feitas na tv falando das mafias organizadas, das negligencias médicas, do pouco o cuase nenhun interese dos profisionais da área pelo seus pacientes, agora eu me faco uma pergunta…A economía estabel de uma familia brinda uma verdadeira vocacao pela medicina???? sera que aquelas pessoas que deixan tudo e arriscaon tudo pelo sonho ten menos vocacao para salvar vidas??? acho que temos muitas perguntas a responder antes de falar de jeito preconceito, o brazil sofre muito de isso e agora tamben entre os propios? quen e melhor medico, aquele que paga pra ser un, ou aquele que gosta de verdade, a pocicao finaceira o a posibilidade de acceso a uma faculdade da suficiente materia gris no cerebro, intelecto e capacidade??? acho que os medicos que conhecen de anatomía poderían responder isso…..

    • edu500ac

      Douglas.
      Em primeiro lugar, os brasileiros não têm queixa alguma contra os médicos da Bolívia, ou da Argentina. Pelo menos três médicos argentinos ganharam o prêmio Nobel. O que podemos acrescentar a esse fato? Nada. Um médico boliviano, escolhido entre os melhores estudantes da Bolívia, deve ser, sem dúvida, excelente. Médicos bolivianos não têm dificuldades em passar nos exames de revalidação do Brasil, ou mesmo dos Estados Unidos. A maior parte das críticas que se faz nesse forum é contra estudantes brasileiros, que fogem do vestibular do Brasil.

      Parece que você é boliviano. Vou, então, explicar a situação. Para estudar medicina no Brasil, é preciso fazer um exame muito fácil, chamado vestibular. Hoje, nas universidades federais, esse exame está largamente unificado. O exame unificado chama-se ENEM e consiste em quatro provas. Uma das provas apenas verifica se o estudante sabe ler português, que é a língua do país. Note que não se exige nem conhecimento de gramática. Trata-se de uma prova de leitura e compreensão de texto; um teste de múltipla escolha com 45 questões. Há também um teste de matemática elementar. Um teste de ciências da natureza verifica se o estudante tem conceitos básicos de física, química e biologia. Finalmente, há um teste de ciências humanas, com algumas perguntas sobre interpretação de gráficos, mapas e fatos históricos. Pois bem, há gente que consegue ser reprovado em tal exame.  Meu filho fez escola pública no Brasil e  passou no exame, na primeira tentativa! Pois bem, são estudantes reprovados nesse exame que vão estudar na Bolívia!

      Faço uma pergunta: Alguém que não consegue passar em um exame de interpretação de textos, como vai aprender medicina? Em outras palavras, como alguém vai entender o que está escrito nos livros de medicina se não consegue ler um texto em sua própria língua? Posso garantir para você que, para passar no ENEM, basta saber ler!

  • eu curso medicina no PY em Cidad del Este, me orgulho de estudar lá, temos aulas de segunda a sexta turno integral e nos sabados ateh 15hs Moro em Foz do Iguaçú-PR e a faculdade fica a 4km da ponte, minha turma somente 6 alunos são PY e o restante brasileiros(¨46), possuimos tds os materiasis didaticos necessários e temos uma excelente infra estrutura tbm.PQ NÃO REALIZAM O EXAME DE REVALIDAÇÃO AOS MÉDICOS BRASILEIROS .,!!!!!!!!!!

    • edu500ac

      Cintia Maria.
      Para começar, vou logo dizendo que tenho imenso respeito pela medicina do Paraguai.  O sistema de saúde do Paraguai ocupa o 57 lugar no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde. Isso coloca o Paraguai na frente da Coréia do Sul, da Argentina com seus três prêmios Nobel em medicina, do Uruguai e, é claro, muito na frente do Brasil, que está empatado com a Bolívia na colocação 125. Dito isso, …

      Já que você está fazendo medicina no Paraguai, um país que ocupa lugar de destaque na lista da Organização Mundial de Saúde, que tem uma expectativa de vida maior do que a brasileira (devido ao excelente sistema de saúde, sem dúvida), você não deve reclarmar do exame de revalidação. Todo país tem esse exame. Assim, vá firme, faça o exame e prove para a banca que seu curso de medicina é, realmente, bom.

      • Gabriel Pareja

        Eu entendi que a Cintia Maria não reclamou do exame de revalidação aos estrangeiros, mas a falta de um exame similar aos Brasileiros (assim como quem se forma em direito e almeja se advogado tem que ser examinado pela OAB). E concordo com ela, para poder dizer que há um mínimo aceitável na medicina brasileira, há que se nivelar pelos profissionais daqui, e depois comparar os estrangeiros.

  • FabioMMCC

    Só a favor das pessoas que tem um sonho de Medicina e estas corram atras
    de seus objetivos,e não ficaram como eu fazendo uma coisa que não estou
    gostando so porque não passei em uma faculdade de medicina e fiz
    cursinho durante 3 anos da minha vida,e cansei de tanto tentar,hoje
    curso Farmacia em uma universidade particular em São Paulo.O primeiro
    ponto que me revolta neste pais é o programa chamado PROUNI,se restrita a
    dar bolsas a estudantes que cursaram apenas ensino médio em escolas
    publicas ou particulares com 100% de bolsa,embora tenha feito colegio em
    uma escola particular o valor de uma mensalidade de medicina é muito
    inferior aquela que meu pai se propos a pagare sendo que eu tinha uma
    bolsa de 60 %(300,00),e por isso eles propoem que vc tem condição de
    pagar uma faculdade no valor de 3000,00/mes e ainda nem da para vc
    trabalhar para ajudar a pagar, meu pai se propos a pagar um ensino
    privado porque o ensino publico desde pais é uma catasfrofe.Alem disso
    para o ingresso atravez desse programa é pelo simples falto de você
    atingir uma note minima no Enem,hj meu pai é aposentado e não ganha nem
    metade de um valor de uma mensalidade de uma faculdade de medicina
    particular aquilo no Brasil como por Exemplo uma Unicid,Lusiadas que
    estão na faixa de 4000,00 reais por mes nem mesmo a Unitau que é a
    faculdade mais barata em torno de 2800,00 na minha opnião Medicina hj é
    comercio.E concordo com o colega anterior vcs temos q tirar o reizinho
    da barriga porque embora estes paises sejam mais pobres e tals …
    estamos na mesma cituação somos classificados como um pais
    Subdesenvolvido ainda pelo q me consta.Sim não sou contra a nessecidade
    da prova de revalidação de diploma,mas acho que todos os profissionais
    da area da saude assim como Enfermeiros,Farmaceuticos e principalmente
    medicos todos os formados inclusive aqui deveriam passar por essa
    prova,para ser comprovado o tão grande ensino brasileiro,pq seremos
    pessoas para cuidar de outras portanto não é qq um que faz uma faculdade
    que esta apto a exercer a profissão assim como o o teste da OAB,se ve
    que muitas faculdade ai formam profissionais ñ aptos a exercer a
    profissão,no entanto porque na area da saude isso tambem não é feito ou
    sera q todos os profissionais formados são aptos,sera q é por isso q
    cada dia mais e mais vemos casos de pessoas que estão morrendo em
    hospitais e a midia expõe,e aqueles q são encobertos pelos hospitais por
    erros medicos,ou sera q todo erro medico é cometido por um MEDICO
    FORMADO NA BOLIVIA.Assim como aqui tem exelentes faculdade,acho não vou
    afirmar estes paises tambem devem ter,ou sera q os profissionais
    formados la todos são ruins,q nem atendem a população local.Na minha
    opnião isso tudo mostrado é uma mafia para que não quebrem as corrente
    de papais e filhos ganhando seus 20000,00 reais por mes ñ querem ter a
    concorrencia em si,sera que é não pode ser o medo de verem q existem
    exelentes profissionais la que iram roubar suas vagas aquilo brasil.Acho
    que o governo deveria fazer um teste e aplicar essa prova de
    revalidação em um ano para todos os estudantes brasileiros de medicina
    so para o indice de aprovação para q depois podermos jugar o ensino dos
    outros lugares.Acho que o sistema de ingresso para os cursos aquilo brasil deveriam ser iguais aos da europa e EUA referente ao seu historico escolar e pelas as suas habilidades ñ apenas uma prova em um ou alguns dias que para mim não avilia ninguem,pq se no dia vc ñ acordar bem ou ter uma dor de barriga ñ passara so por isso,vestibular não havalia ninguem…sem falar naqueles que entram por debaixo dos panos mas ai ja irei fugir muito do assunto.
    Resulmindo caro escritor isso é uma ironia … pq ñ é qq um q tem um papai para pagar uma faculdade de medicina …
    Abraços a todos

  • edu500ac

    Quem não passou no vestibular foi reprovado porque: (1) Não sabia português e inglês; como ele vai ler os livros de medicina? (2) Não sabia matemática; como vai entender a literatura científica? (3) Não sabe química, física e biologia; você consegue conceber um médico que não sabe física, química e biologia?

    • FabioMMCC

      Desculpa caro amigo,você esta totalmente enganado … uma PROVA ñ avalia ninguem,vc pode ter acordado em um pessimo dia e fazer uma prova super mal isso ñ vai mostrar o que vc é,e Desculpa o q aprendemos na faculdade é totalmente diferente do que aprendemos no cursinho ou no ensino medio não significa q se eu ñ sei portugues não serei um bom medico,é dificil as pessoas entenderem que isso não leva a nada a verdade é uma só,hj os medicos formados no brasil tem um REIZINHO na barriga pq passaram no vestibular e se acham no direito de se acharem mais do q os outros,fiz 3 anos de cursinho me matava de estudar nos simulados ia melhor que muita gente,e não passei por nervossismo na hora da prova e vc vem falar q quem não passa ñ sabe nenhuma materia desculpa  caro amigo reveja mais seus conceitos antes de comentar e pense nas palavras q vc usa.Aposto q vc é um DESSES REIZINHOS QUE TAH FAZENDO MEDICINA E SE SENTE A ULTIMA BOLACHA DO PACOTE,SE TOCA ANTES DE FALAR BESTEIRA.

  • o nível das universidades bolivianas é comparável ao das u brasileiras , mas a questão é puramente economica estamos falando de dinheiro q se gasta com vestibulares, com cursinhos todos eles tem influencia no governo 

  • Estudo na fronteira com Paraguay e muito perto da Bolívia, tenho conhecidos que estudam medicina nestes países, e convivo bastante com eles… ou melhor, vou muito an casa deles para tomar um tereré enquanto eles se matam de estudar. Vejo o pessoal de lá estudar MUITO mais que os os meus amigos que estão na UFMS e UFGD (as públicas de medicina daqui do estado) ou na UFF (eu morei um tempo em Niterói). Costumo passar as féria na Argentina, onde meus amigos que me hospedam lá todos fazem medicina, e seguem um rítmo de estudos similar ao do Brasil. Já no Uruguay, meus amigos que fazem medicina não tem vida social, SÓ ESTUDOS, e lá não há vestibular e a universidade é gratuita.

    Em resumo, vejo que lá fora o ensino é tão bom quanto, ou melhor que o Brasil, e digo isso vivendo esse cotidiano, não de ouvir falar, igual a maioria. Só pra constar, a dificuldade com o Español só acontece no primeiro semestre (e com o Guarani pra quem estuda no Paraguay pode demorar um pouco mais. Embora as aulas sejam em espanhol, nos hospitais os pacientes falam guarani).

    Acontece que o exame é quase impossível, alunos brasileiros formados aqui também tem a mesma dificuldade. Alunos formados na Europa, Austrália, Canadá, EUA tampouco tem resultados tão melhores. Acontece que o CRM faz de tudo para barrar isso, é muito mais político do que educacional!!!

    • Se eles fossem bons de verdade não precisariam sair de seu pais para fazer medicina uma profissão que requer um nível de qualidade altíssima creio eu maior do que todas as outras profissões, já que vai cuidar da vida das pessoas, então    concluo que esses pseudo-médicos nada mas querem é ganhar dinheiro e não o que de fato a profissão exige que é um grau de excelência alto acima das outras profissões.

      • …pseudo-médicos só porque você acha… se você diz que os que estudam fora não tem capacidade como os “bons” do Brasil, pede pra um dos bons fazerem a prova de Convalidação pra ver se passa…. DUVIDO! já fizeram isso e nem 15% dos estudantes brasileiros que fazem faculdade no Brasil (os que tem a “excelencia” como vc diz) conseguiram passar. A excelencia, independente do  lugar que estudaram, é o estudante que faz, o conhecimento é um só. Meu caro, NÃO ROTULE, nao seja ignorante a esse ponto. 

        • Gabriel Pareja

          Muito bem falado Veronica! E vejo que és de Foz, então conheces a realidade da fronteira, assim como eu (vivo na fronteira com o Departamiento de Amambay, muito perto do Canindeyu, e a poucas horas do Alto Paraguay e da Bolívia). É triste que alguém que nem tem capacidade de entrar numa universidade de prestígio, e que não conhece o que fala tente rotular alguém para sentir uma falsa superioridade!

      • Raphael Silva Andrade

        alto grau de excelência é obrigação de todo profissional…até mesmo de um faxineiro que possui um tarefa não tão complexa…cada macaca no seu galho. 

        medicos não tem o poder de dar a vida…só Deus! Lembre-se: a desgraça da humanidade de chama EGO! Não leve isso consigo….

        Paz e bem!

        • Gabriel Pareja

          Paphael, falou tudo!

          Faço questão de fazer minha tuas palavras quando dizes:
          “Lembre-se: a desgraça da humanidade de chama EGO!”Paz e bem para ti também, que mostras ser alguém que luta por estes valores!

      • MichellyLo

        http://www.youtube.com/watch?v=By-5jsxOMSI&feature=related

        Medicina no Brasil é reprovada. O que você acha disso??
        Você primeiro teria que entender que a oferta de procura é maior que as vagas oferecidas, e o fato de não ser aprovado no vestibular no Brasil não indica que o o aluno é burro. Eu estudo na Usp e passei depois de prestar 4 vezes… acho injusto a forma de acesso as universidades brasileiras e a forma que aplicam a revalidação, em qualquer parte do mundo existem bons e maus profissionais e conheço muitos estudantes da Argentina que merecem muito mais respeito do que alunos da minha turma que não valorizam o que tem.  

        A valorização profissional tem que funcionar pra todas as profissões, não só para saúde… pensamentos como o seu é que leva o Brasil a ter um sistema de saúde maravilhoso… nosso amado SUS!   

        Não quero te irritar, mas você não sabe o que está falando! Sem noção!

        • Gabriel Pareja

          Tu és uma das primeiras pessoas aqui que faz medicina no Brasil, em uma universidade respeitada e que se mostra sensata!

          Penso que o fato de tu teres que LUTAR para conseguir te ajudou muito. Parabéns! E tudo de bom pra ti

      • Gabriel Pareja

        Em primeiro lugar, estás sendo muito pretensioso e preconceituos. Um médico pode matar um por vez, um engenheiro que projete errado um prédio, um carro ou um avião mata VÁRIOS. Aqui  no estado temos duas universidades federais que têm o curso, a UFMS e UFGD, a UFGD Medicina 2010/11 foi um dos vestibulares  mais concorridos do Brasil, a UFMS (que tem acesso pelo SISU) também ficou entre as maiores concorrências do sistema. Nem todo mundo pode pagar R$2700 por mês na FACID, nem se bancar em cursinho por anos pra entrar numa das federais.

        Pseudo-médico é o que não se garante frente à concorrência. Pq os senhores não tentam o exame ao qual eles são submetidos? Houve uma proposta na câmara federal para que essa prova fosse obrigatória (como é a OAB para todos os que querem ser advogados), houve um lobby das IEDS que oferecem medicina (encabeçada pelas privadas) fazendo pressão contra. Se elas são tão boas assim, pq não aceitaram igualar pra todos?

        Se o senhor tem tal grau de excelência, pq estás em uma privada, e não em uma pública?

    • Heven Li Pereira

      Ah, meu filho, deixa de mentira… conheço uns trocentos estudantes de medicina na bolívia, eles vivem em festas e bebedeiras, quando vêm pro Brasil não sabe nem pra onde vai a medicina… nem escrever direito o português eles sabem!!! Afff…

      • Gabriel Pareja

        Não sei com quem tu convives, mas parece que teu círculo social vai mal!

        Meus amigos, muitos são brasileiros, então falam e escrevem o português de berço. Festar eu vejo alunos do Brasil festarem também. Lá sem dúvidas tem más universidades (em La Paz já tiveram uns escândalos por isso), mas na região da crescente (Santa Cruz) existem muitas de grande qualidade, tanto que o maior número de validações no Brasil se dá em processo via UFMT (estado que tem maior limite com a Bolívia). Eu convivo com muita gente por estar na fronteira BR-PY-BO, vejo de perto uma situação que a maior parte só houve falar, e a realidade se percebe como a descrevi, se não crês, não posso fazer nada. Se tu não te garantes e tens medo da concorrência ser melhor, sinto muito, Mas médico bom sempre tem paciente, e se o médico for tão ruim, perde a licença.

      • Mauricio Godsenk

        Muito bem seu idiota metido a sabichão; sabia que vc esta conjugando o verbo DEIXAR de forma errada? Não se diz “DEIXA de mentir” e sim “DEIXE de mentir” pois vc esta se dirigindo à primeira pessoa do singular e não à segunda. Aff! Onde mesmo vc estuda?

      • Bom, eu conheço cada profissional da arte de curar ou Médicos ou melhor como gostamos de ser tratados “Doutores” que falam cada BARBARIDADE, e não só no português e sim em diagnósticos e tratamentos, que me da vergonha “alheia”. Ahhhhhhhhhhhhhh, e sempre estudaram no Brasil. Pode acreditar no que digo.

    • Gabriel Pareja

      Pra deixar claro, NÃO FAÇO e NUNCA QUIZ FAZER medicina. Sou assumidamente da área de humanas. E penso que TODOS os cursos tem grande possibilidade de integração continental (exeto Direito, pois as leis são muito distintas, mas as matéria propedêuticas podem sim serem integradas sem problema algum. Não tenho medo de concorrência, me garanto. Não é atoa que fui aprovado nas três IES (instituições de ensino superior) públicas no estado que vivo.***

      ***NENHUM preconceito pra quem é de uma IES privada, muitas são melhore que as públicas. Porem querem vir falar de “excelência” sem conhecer a real excelência de outras regiões. Pergunte à alguém duma pública do Sudeste ou Sul o que ele tem a dizer da excelência duma privada do nordeste… Só aí tu vais ver que o tipo de preconceito que tu tens, é infundado

  • a verdade é q para passar n vestibular de medicina no brasil(teresina-pi)tem q ser muito bom….ja n extrior cmo bolivia ,,,nem ao menos tem vestibular…..entao tdos tem cpcdd d entrar nma destas fcldds…

    • você tem preguiça ate para escrever, imagina para estudar. Como acha que é a rotina de estudos de quem passa em Medicina…

    • Fallcom

      você tem preguiça ate para escrever, imagina para estudar. Como acha que
      é a rotina de estudos de quem passa em Medicina…

      • Gabriel Pareja

        Olha, eu que moro na fronteira, e não no Piauí, LONGE PACAS de qualquer realidade assim, te digo. A rotina que em estuda medicina em outro país, é PESADA. No Paraguay algumas não tem “vestibular”, mas tem a “probatória” durante 1ano os alunos tem aula de todas as matérias do ensino médio (que no Paraguay inclui, alem de todas que temos as de “estudios paraguayos”, sobre hinos, bandeira e outros temas nacionais, e o Guarani, que é uma das línguas oficiais) como as introdutórias do curso. Eles estudam por uma ano e depois tem uma semana de exames. Na UNI, este ano que passou foram 230 candidatos pra 37 vagas.

        Essa preguiça de escrever não dá certo la não, ‘cheraa’!

        *Cheraa – Meu caro em guarani. Maneira de tratamento normal no país

  • luis felipe diniz

    Não há espaço no nosso país para fracassados e perdedores, se não conseguiram e foram tentar na Bolivia ou no inferno que seja, fiquem sabendo que serão sempre um bando de fracassados e que fiquem por ai mesmo, porque aqui não há vagas para vocês.

    • Gabriel Pareja

       Fracassados são os que morrem de medo de quem vem de fora, tipo tu. Quem não tem como estudar no Brasil, e vai para lugares onde não precisas ser bancado por alguém para passar, esses são guerreiros, que eu admiro. Universidades como a UNA, UNI, e UdelaR  são gratuitas, há sistema de ingresso, mas não é por vestibular (no caso das duas primeiras é bem pior que vestibular) e são muito mais difíceis que muitas universidades brasileiras, estão cheias de brasileiros que mostram se garantir muito mais que tu, pois estudam lá fora e passam em uma avaliação que tu não serias capaz de passar.

      Se no Brasil não há vagas para fracassados, o que fazes por aqui?

  • diocleciana

    Para saber se podemos dar crédoto nestya reportagem, o governo tambem deve estabelecer provas de revalidação em brasileiros que concluem seus cursos aqui no Brasil, ai vamos dar crédito a reportagem à cima. O que acho nuito difícil

    • Gabriel Pareja

      Por que advogados tem que fazer OAB (sendo que o trabalho deles é todo tempo examinado, uma petição ou documento feito erroneamente é negado, ele perde o prazo, e conseqüentemente a causa), por que cargas d’água, o médico, que se errar pode matar alguém, e uma sanção posterior NÃO trará essa vida de volta, só tem que colar grau e não ser submetido à exame?

  • quanta hipocrisia, o culpado disso, é dos nossos representantes, que não criam universidades federais e estaduais o suficiente para nossos filhos. Ninguém tem que esperar o tempo passar para ser alguém na vida, Brasil país da corrupção que trata nossos filhos com total descaso, garanto que se houver universidades suficiente as taxas de candidatos cairiam aumentando o número de aprovados assim dando oportunidade a todos, niguém aqui é fracassado ou derrotado. como uns dizem. Apenas precisa de oportunidade para demonstrar seus conhecimentos e desenvolver o que eles escolheram para sua vida, é uma covardia vocês comparar um cara que o pai passa a vida pagando escola particular vai estudar nos estados unidos volta faz um vastibular passa em medicina e começa a se gabar, aí vem um cara que o pai se fudeu a vida toda, apenas para sustentar o filho mantendo as necessidades básicas pois ganha apenas um salario mínimo, e tentar mater seu filho longe das drogas da violência, para poder educar seu filho em escolas públicas de pécima qualidade e que ao terminar o 2°grau, ainda tem que fazer cursinho de pécima qualidade, para tentar concorrer com um filho da puta que vem dos estados unidos se preparar para uma universidade Brasileira, vocês devem sim criticar nossos governantes deste país nogento que a cada dia tenho repúdio, engulhos e etc… como diz Cant. A inumanidade que se causa a um outro, destrói a humanidade em mim.

    • Gabriel Pareja

      É tão bom ver gente sensata aqui!

      O Uruguay (existe apenas uma universidade pública que alcança todo o país. Se chama UdelaR – Universidade de la República), eles garantem vagas para todos que queiram fazer o curso que seja, e os alunos sofrem mais que sovaco de aleijado, pois é muito difícil passar nos semestres. Em épocas de prova eles quase não dormem. O curso mais difícil de passar é Engenharia de Telecomunicações, o tempo mínimo é de 5 anos, a média é de 12. É uma universidade sem vestibular nem mensalidade, que entra quem quiser. E ela está entre as 100melhores da América Latina. Vamos pedir políticas públicas ao invés de muros nas fronteiras!

  • Agnaldo Junior

    pessoal sei que a medicina em outros paises não é ruim como falam, porem o curso de medicina é um premio para os estudantes e pesquisadores brasileiros, se for de facil acesso não seria tão cativada como ela é. portanto como já é concorrida ficará pior se as poucas vagas que temos for completadas por civis imigrantes. ressaltando sou estudante e pretendo o curso de medicina mesmo com a burocracia  que é com o esforço vou conseguir! isso que devemos fazer estudar e não ficar perdendo tempo.

    • Gabriel Pareja

      A Medicina é muito concorrida nos grandes centros. Para o estágio de Direito eu analisava contratos, um médico no interior do MS, para 40h semanais está sendo oferecidos cerca de R$17mil (uma rede de hospitais particulares que tem acordos com prefeituras que terceirizam a saúde). Eles trabalham próximo à cidades com toda estrutura (o contrato que analisei era pra uma cidade a 40min de Bonito, que pelo fluxo turístico tem DE TUDO, E tem um aeroporto com vôos diários (alguns mais de uma vez por dia) pra São Paulo (conexões para o restante do Sudeste) , Brasília (conexões para todo Norte e Nordeste), Cuiabá, e Campo Grande (conexões para o Sul). E meu professor (advogado deste convênio que citei) disse que não conseguem trazer ninguém pra lá. Isso sem falar no SUS. Segundo a OMS uma região só está saturada quando possui mais de 5médicos para mil habitantes (o mínimo recomendado é 1 para cada mil). Por esses dados somente o DF está lotado (5,54 para cada mil), e Acre, Amapá, Maranhão, Tocantins e Piauí estão abaixo disso. Em nenhuma região passa-se de 2/1000 (no Sudeste só MG não chega a isso).

      Antes de falar algo, confira os dados, veja se é verdade!!Pode lê-loas aí: http://www.scielo.br/pdf/csp/v22n8/04.pdfEstudo publicado no Caderno de Saúde Pública do Rio de Janeiro (revista respeitadíssima na área).

    • Gabriel Pareja

      Ah, e quase me esqueci não são civis imigrantes, são brasileiros emigrados que retornam.

  • Heven Li Pereira

    Meu querido, deixa eu te explicar uma coisa: se eu estudo feito um fdp pra passar num vestibular super difícil e concorrido, ralo na faculdade durante 6 anos pra conseguir meu diploma, depois que eu me formo vc acha que eu vou querer ser ma pago??? NÃO. Agora, pra alguém que vai pra Bolívia, por exemplo, paga 250 reais por mês numa faculdade de medicina, passa tranquilamente despercebido se quiser pela faculdade, recebe seu diploma e vem pro Brasil, vc acha que essa pessoa vai recusar trabalhar por qualquer quantia que lhes pareça bom??? É por isso que muitos municípios vão atrás de médicos formados fora do país, porque aceitam trabalhar por um salário muio abaixo dos médicos formados no Brasil, e eles não estão nem aí pra qualidade desses médicos, porque com certeza eles não utilkizam o SUS, quem utiliza é o povo e desde que tenha atendimento, se ele é de qualidade ou não, não importa às autoridades! É por isso que as coisas estão como estão. Por causa de pessoas sem excrúpulos que simplismente vão pra Bolívia pra serem médicos por status social, que os médicos brasileiros são tão mal pagos, porque eu não vejo ninguém ir fazer enfermagem, direito na Bolívia, é só medicina… porque será, né?! Portanto, eu acho mesmo que a prova de revalidação deve continuar sendo uma prova impossível de ser respondida e que, quem sai do Brasil pra fazer medicina fácil, fique exercendo a medicina no país onde ser formou! Pronto, falei!

    • Gabriel Pareja

      Tu mostras não saber nada da realidade de fora!

      E se tu és tão bom assim, vai conseguir se dar bem na vida, trabalhar num grande hospital particular e ganhar muita grana. Pra que ficar com medinha de quem vem de fora? É pq o papai num vai poder te proteger na hora de concorrer alguém de fora?

      • Heven Li Pereira

        O único medo que tenho desses pseudo-médicos é cair ou que algum parente meu caia nas mãos deles algum dia! Eu faço universidade pública, não sou filhinha de papai não e já sou bem adulta, não preciso dos meus pais pra me protegerem. A primeira coisa que vocês gostam de fazer pra tentar denegrir as pessoas que SÃO MELHORES que vcs, sim, por terem se esforçado e passado num vestibular, é generalizar como se a gente fosse um bando de riquinhos sem nada na cabeça. Você é que não sabe NADA da realidade!!! VAI ESTUDAR e páre de falar MERDA!

        • Gabriel Pareja

          Para começar, eu não faço, e nunca quis fazer medicina. Sei que sou das humanas desde o ensino fundamental. Passei não em um, mas em três vestibulares muito concorridos e todos públicos. Estudo hoje dois cursos em duas universidades públicas (pois ingressei antes da lei que proíbe tal fato, então tenho direito a isso), uma federal (que está entre as 40 melhores do Brasil, e é a terceira melhor na região Centro-Oeste, onde moro) e uma estadual (melhor da área que estudo no estado em que vivo). Desde os 17 anos moro a mais de 2mil Km dos meus pais, e além de estudar, trabalho como estagiário em minha área. Se tu fosses melhor que alguém, não tentaria tripudiar nos outros terias, no mínimo, humildade.  Pelo contrário, comprovou ser mimada e ter que atacar para conseguir se defender (falta de argumentos).

          E teu primeiro discurso mostrou sim medo da concorrência. Quem se garante, como tu queres mostrar que o faz, não precisa diminuir ninguém, consegue agir com superioridade.

          E no teu primeiro post escreveste “pq não estudam enfermagem e direito la fora”. Mostrou não conhecer NADA da realidade dos alunos lindeiros, e ainda te faltar raciocínio lógico:
          Em primeiro lugar, há sim gente em quase todos os cursos de igual conteúdo independente do lugar (enfermagem, engenharias, ciências da computação, etc).
          Em segundo, direito baseia-se em leis, que cada país tem as suas, MUITO DISTINTAS dos seus pares em outras partes. Como alguém pode estudar as leis de outro país e trabalhar com elas aqui? Raciocinar um pouco, faz bem! 😉

          Nunca disse que são riquinhos sem nada na cabeça, mas que quem se expressa igual a tu fizeste, demonstra não estar acostumado a enfrentar nada sozinho. Eu já estudo, em dois cursos, em duas universidades renomadas em minhas áreas. não precisei fazer cursinho para isso pois sempre tive boas médias. Estudo ainda mais no meu estágio, que mantém um projeto reconhecido e referendado na Associação Brasileira de Relações Internacionais (ABRI).

          Talvez eu esteja falando merda, não me acho impecável, mas falo de algo que sei, conheço, e vivo TODOS OS DIAS. Não falo de ouvir alguém dizer, nem por ter medo 😎

          • Heven Li Pereira

            GABRIEL PAREJA, vc acha que é muito foda porque faz Relações
            Internacionais na
            UFGD e Direito na UEMS… ok…. vai lá filhinho… estude bastante as
            leis absurdas que, por mais que vc estude, NUNCA terá poder de
            fazê-las… já que é um monte de analfabetos que o povo vota como
            deputado que fazem as leis deste país… grande vantagem!!! Quando
            formado, só defenda gente honesta, só quem realmente está certo na
            história, daí coversamos, ok? VCS SÃO A PIOR GENTE QUE EXISTE! DEFENDEM
            BANDIDOS POR DINHEIRO E QUEREM TER DIREITO A FALAR ALGUMA COISA!!! Faz
            favor! Ganham altos salários para trabalharem das 8h às 13h, e os que trabalham… ainda têm uma aposentadoria citalícia… mudem tudo isso!!! Fiquem em plantões intermináveis cuidando de gente morrendo… para ganharem um salário que, ainda tem gente que diz, ser alto demais! Se arrisque com a a vida de alguém, não julgando certo ou errado, pois é muito fácil, mas tomando a decisão na hora, nos poucos minutos que vc tiver para quem sabe salvar ou acabar com a vida de alguém! DEIXE DE FALAR MERDA! VÁ LER SEU VADEMECUM… E FIQUE FELIZ COM ISSO! NUNCA EM SUA VIDA VAIS EXPERIMENTAR A RESPONSABILIDADE DE TER NAS MÃOS A VIDA DE ALGUÉM PARA QUERER SE ACHAR NO DIREITO DE DISCUTIR SOBRE ISSO! Essa discussão DEFINITIVAMENTE não é para vc! ADEUS!

          • Gabriel Pareja

              Não pretendo, nem de longe, se advogado em exercício. Estudo Direito por ser um curso que complementa a carreira de RI.

              Bom, parece que tu não conheces rotinas jurídicas. Já aconteceram julgamentos que duram mais de 48h ininterruptas. Existem plantões para adiantar processos, e juízes não ganham horas extra, por exemplo.
             Bom, eu vi que tu não sabes o que quer dizer Vitalícia! Significa que é pra a vida toda. No Brasil, assim são TODAS as aposentadorias, começam no momento que a pessoa se aposenta e dura até que ela morra (salvo quado o próprio beneficiário queira voltar ao trabalho). Eu tenho sim que ler meu vade-mécum, mas também leio dicionários quando não sei escrever corretamente, ou não conheço o significado de uma palavra, e tu deverias começar a ter o mesmo hábito!
             Acontece que pela minha formação acadêmica, assim como pelo local onde moro, eu SEI do que se trata a discussão aqui, é sobre revalidação de diplomas. Eu vivo em contato com pessoas que estudam no Paraguay TODOS os dias (só pra constar, pela OMS o sistema de saúde deles é o número 57 no mundo, o do Brasil é o 125, como o edu500ac citou 3 meses atrás); convivo com pessoas que estudam medicina na Bolívia pelo menos uma vez por mês; estudo legislações internacionais; estudo legislações nacionais; participo de fóruns sobre o tema. Eu não sou alguém fechado na minha área que penso ser o foda, diferente de ti eu sei que tenho muito o que aprender e busco aprendê-lo.

             Por influência do meio onde cresci (irmão estudou farmácia e trabalha em um grande laboratório, minha mãe bióloga, muitos primos médicos ou de outras áreas da saúde que trabalham com hospitais) fiz curso de socorrista no ensino-médio, e salva-vidas (cresci em uma cidade à beira mar). Não tenho contato com vidas todos os dias, mas sei sim a responsabilidade que é. Além disso, vejo que tu não tens idéia do que faz um profissional das R.I., só para citar uma comissão brasileira foi recentemente à Indonésia para ver o caso de brasileiros condenados à morte, e no processo de advogar o pedido UMA única palavra errada é a diferença entre a vida e a morte de dezenas de compatriotas.

             Além do mais, se eu quisesse me propor à salvar vidas, eu teria ido para medicina, e sabendo a responsabilidade que é além de não reclamar disso deixaria assuntos como Revalidação de Diploma Estrangeiro para quem estuda o assunto. Da mesma maneira que não vim aqui discutir suturas contigo, por saber que não é minha área, então não tenho autoridade na área, seria lega que tu te colocaste em teu devido lugar e não quisesse discutir assuntos de outras áreas com quem as estuda 😉

          • Gabriel Pareja

            Só pra comentar, cara Heven Li Pereira, entre as várias matérias que se estuda em direito, uma delas é psicologia. E tu demonstras TODOS os sinais de quem ataca por não ter como se defender. Argumentos são rebatidos com argumentos, não com ofensas e falta de lógica

          • Ok, em medicina estudamos psicolgia e psiquiatria e vc tem todos os sinais de pessoa RECALCADA! Tenha uma boa vida!

          • Gabriel Pareja

            Se por recalque dizes da minha insistência em pontos que julgo (julgo, penso e não meramente ‘acho’) corretos e justos, podes me chamar assim pois me soa como um elogio!

            Agora se pensaste que isso me ofenderia por insinuar que assimilei falsos princípios inconscientemente, saiba que todos meus comentários aqui são sobre temas que pesquiso e penso faz alguns anos.

            Eu chamaria de recalque o processo pelo qual os teus amedrontados conselho, grupo de colegas e docentes usaram para te convencer que são algo melhor que quem se graduo fora do país (seja na Bolívia ou em Bolonha).Minha vida já é muito boa, minha área de estudos complementa cada dia mais o que já me ensinaram na infância os meus pais, que é conviver e sincretizar o que seja distinto, ao invés de me armar e atacar o que não conheço – ou só conheço de ouvir falar pelos outros. Assim também te desejo uma ótima vida! E que ela, a vida, te ensine da maneira menos dolorosa possível que não estamos a cima de ninguém.

    • rsrsrs, pra começar, Direito, cada país tem sua constituição… Depois, você como “estudante de medicina” deveria saber que a MEDICINA é uma só, todos temos Esfenóides, Temporal, Coração, Artérias e Músculos, portanto cabe 90% do aprendizado ao estudante.
      Aqui na Bolívia, não é melhor, nem mais fácil do que o Brasil, na verdade estudamos tanto quanto e mais um pouquinho por que tudo é em espanhol.
      Não tenho medo da prova de revalidação, mais parece que você que se mata estudando muita mais do que os estudantes daqui tem um pouquinho de medo dessa provinha certo?

      Novidade para vocês, todos farão prova para poderem atuar como “Doutores”, a vida humana é muito importante para achar que vocês estudantes de medicina brasileiros serão capazes, assim como nós estudantes de medicina em outro país deveremos continuar a fazer a prova para que somente os bons estudantes de medicina possam atuar e realmente mudar a pobreza na saúde que vive o Brasil.

    • Isto é reserva de mercado. E pior descaso com tratados internacionais. 
      E todos inclusive os formados no Brasil tem que prestar o exame.
      Claro que compatível com o conteúdo acadêmico. Quero acrescentar que estes estudantes fazem estágios no brasil em hospitais públicos . E se servem para trabalhar de graça quando doutorandos. Podem ser remunerados e exercerem a medicina tanto quanto os nossos filhinhos de papai que pagam $$5000,00 por mês em faculdades particulares. Isto é comprar diploma,
      Se estudam fora e deixam seu pais é for necessidade!!!!!!!!!!
      Revejam quem realmente tem interesse neste discurso de pseudos-médicos, 

    • Naty Lima

      Povo fala sem conhecimento de causa, muita gente vem para bolivia fazer outros cursos como: arquitetura, veterinaria, odontologia, engenharia petroleira. Pesquisa antes de falar abobrinha!

  • Rafael Silveira

    Acho importante sim os textes para como passaporte para exercer sua função.
    Vamos lembrar o seguinte: somos de culturas diferentes, somos diferentes, essa ‘desconfiaça’ para como os alunos que estudam no exterior é muito boa, pois infelizmente, se o brasil não consegue controlar os problemas aki, como vai ter controle lá fora?
    O que vale para mim é o que? Profissionais na área cada vez melhores e capacitados. medicos estão tomando de conta de seres humanos.
    Os demais comentarios aqui expostos tens sentidos em todos, agora desclassificarmos umas das outras é que não dá certo. Vamos fazer cada um sua parte, buscar resultados e não nos acomodarmos.

    • Gabriel Pareja

       Caro Rafael, penso que se querem testar quem vem de fora, teste igualmente quem vem de universidades aqui, só assim se teria certeza de igualar níveis mínimos aceitáveis. Assim como há Exame de OAB para quem faz direito (que é examinado TODOS os dias por cartorários, juízes, advogados da parte oposta, etc. e que se fizer algo errado é exposto e perde toda a credibilidade), pq não um exame do CRM que seja equivalente à convalidação?

      Só saberemos que os profissionais estão melhorando paulatinamente, se os examinarmos.

  • MARCELO DUARTE

    Nossa sem comentarios, o FDP que escreve tudo isso acima deve ser uma grande ignorante e nao conhecedor da causa. Medico nao e Deus seu burro, me formei na bolivia, revalidei judicialmente e hoje trabalho e faço especializaçao na USP, Cresçe muleque

    • Gabriel Pareja

      Não precisa ofender, Marcelo, mas de fato foi muito parcial esta matéria. O que me impressiona é como tem gente que não conhece a realidade e toma isso como verdade

    • Ola, concordo com você, se eu te disser que a carga horária da Udabol, por ex. é muito maior/completa que da única universidade pública que no caso é federal acho que você não se surpreenderia, para você ter noção tinha falta de formol nos tanques em que os corpos para estudo ficam… Para quem quiser se informar busque a matéria no G1 Universidade federal UNIR, acredito que qualquer universidade da Bolívia seja melhor que a do meu estado!

    • sun_matipas

      um médico que escreve cresce com Ç realmente é mt IGNORANTE! dessa maneira, não teria passado nem no vestibular aqui no Brasil…por isso procurou outros recursos haha

  • O prêmio Nobel … Procuremos (NÓS BRASILEIROS “OS FODÁSTICOS NA MEDICINA”) quantos deles temos? Nenhum. Por que será se somos tão bons … Os malditos HERMANOS têm 2, e cada vez mais próximos do terceiro e quarto … Nós “OS HOUSE´s” cada vez mais distantes do primeiro. Humildade e humanidade, coisas imprescindíveis (além do conhecimento) para ser médicos, e temos tão pouco disso. Sou a favor da prova de título ao final do curso para todos os médicos do Brasil, a MESMA cobrada para os médicos do exterior.

  • Debora Molhada

    Oi galera tava vendo este blog, vc explicou tudo mt bem, eu tbm passei por tudo isso, e agora minha irmã tbm está fazendo medicina ai na Bolivia, depois do curso eu demorei mt tempo até conseguir encontrar uma solução para reconhecer o curso de medicina aqui no brasil, conheci esses caras aqui passo e recomendo, meu diploma foi reconhecido na europa e agora aqui no brasil e já tou com tudo reconhecido, recomendo mesmo vejam o site deles http://consultoriad1.wordpress.com foram atenciosos comigo, no inicio não tava levando muito a sério mas depois resolveram foi questão de 6 meses, e melhor paguei uma taxa apenas e quando me entregaram o processo todo na mão aqui no brasil é que paguei.

Política de Privacidade • 2017 (CC)